Advogado de Blumenau que teve cartazes racistas colados em sua casa participa do Encontro com Fátima Bernardes

Marco Antônio comenta o ocorrido e fala sobre racismo na profissão

Advogado de Blumenau que teve cartazes racistas colados em sua casa participa do Encontro com Fátima Bernardes

Marco Antônio comenta o ocorrido e fala sobre racismo na profissão

Julia Schaefer

“Quando um advogado assume a postura de um advogado, e é negro, ele começa a incomodar”, diz Marco Antônio à Fátima Bernardes, quando ela pergunta sobre um possível motivo para o ocorrido em sua casa, quando criminosos colaram cartazes racistas o ameaçando. O advogado participou do programa Encontro com Fátima Bernardes desta terça-feira, dia 21.

Durante a entrevista, Marco comenta sobre a situação de que, muitas vezes, as pessoas não conseguem enxergar um negro em posições de destaque. Conta inclusive um caso recente pelo qual passou.

“Estávamos numa audiência de custódia de um acusado. O juiz pergunta para a advogada se ela tem alguma pergunta e se refere a mim como o pai do acusado. E o acusado era negro. Então eu não era o advogado, eu era o pai do acusado”, relata.

Marco Antônio fala sobre a própria militância dentro da OAB. Hoje, ele participa da Comissão de Igualdade Racial e da Comissão da Verdade sobre a Escravidão Negra no Brasil, e do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros da Furb.

Ao longo do programa, ele também falou sobre como a família recebeu o acontecimento em sua casa, e falou sobre a necessidade de se estudar a história da cultura africana nas escolas. Confira o vídeo completo aqui.

 

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio