A confeitaria Martha Frehner, localizada na rodovia entre Brusque e Nova Trento, comemora neste sábado, 20 anos de casa e 30 anos de história. Para comemorar a data, a confeitaria está com uma programação nas redes sociais com publicações que contam curiosidades sobre a história de Martha Frehner.

Nascida em 1930, Martha era filha de imigrantes suíços e em sua juventude teve a oportunidade de vir a Brusque para trabalhar na residência de Otto Renaux, filho do industrial Cônsul Carlos Renaux. Ali trabalhou como cozinheira e adquiriu inúmeras habilidades culinárias.

Já nos anos 60, Martha casou-se com o padeiro Helmuth Wilcke e foi morar em Nova Trento. O casal era conhecido na região por realizar diversos banquetes de casamento e festas, além de fazer bolachas, cucas e outros doces alemães em casa.

Equipe de cozinha do industrial Otto Renaux, Martha é a primeira à direita. Crédito: Arquivo Pessoal Martha Frenher/O Trentino

Em 1991, a filha do casal, Rut e o esposo Moisés Tambosi começaram a ajudar na fabricação dos doces e a vender de porta em porta. A partir de então, com o sucesso das vendas, surgiu a ideia de construir um espaço físico que deu vida ao charmoso chalé alpino, as margens da rodovia Gentil Archer.

Martha Frenher, em 8 de agosto de 1953, registra em fotografia seu uniforme de trabalho na casa da família Renaux. Crédito Arquivo Pessoal Martha Frenher/O Trentino

O objetivo era reproduzir a paisagem dos Alpes Suíços e o lugar acabou se transformando em um cartão postal, que em homenagem a matriarca, ganhou o nome de Martha Frehner’s Haus. Em duas décadas de história, a confeitaria já conquistou o paladar de clientes de todo o Brasil e de outros países, sendo sempre lembrada por suas delícias, como a torta de morango com suspiro e o tradicional strudel com sorvete.

Martha Frehner trabalhou na casa de Otto Renaux, e foi lá que considerou ter sido sua “escola” de confeitaria. Ela faleceu em 2017, aos 87 anos, e hoje a confeitaria que leva seu nome é administrada pelo filho Moisés Tambosi. Foto Reprodução/O Trentino

Deixe uma resposta