Audiência apresenta relação de linhas de ônibus que podem sofrer mudanças em Blumenau

Em reunião na Câmara de Vereadores, cidadãos pediram maior participação em discussões que ocorrem junto à Agir

Audiência apresenta relação de linhas de ônibus que podem sofrer mudanças em Blumenau

Em reunião na Câmara de Vereadores, cidadãos pediram maior participação em discussões que ocorrem junto à Agir

Evandro de Assis

O plenário da Câmara de Vereadores de Blumenau ficou cheio para a audiência pública que discutiu o trabalho de uma comissão especial formada para analisar o transporte coletivo. Representantes de entidades, sindicatos, associações de moradores e usuários dos ônibus participaram do encontro, nesta quinta-feira, 15, à noite.

Solicitada pelo vereador Almir Vieira (PP), a reunião tinha o objetivo de informar a população sobre mudanças no sistema de transporte que podem ser implementadas a partir do trabalho da comissão, liderada pela Agência Reguladora Intermunicipal (Agir). Compareceram servidores do Seterb, da agência, da prefeitura e vereadores. A BluMob não enviou representante.

Maior participação

Durante o encontro, surgiram críticas à composição da comissão, formada por uma resolução em dezembro do ano passado, conforme noticiou O Município Blumenau com exclusividade. Fazem parte dela apenas a Câmara, a Agir, o Seterb, a BluMob e a prefeitura.

Representante do sindicato dos trabalhadores (Sindetranscol), Ari Germer sugeriu que associações de moradores e do próprio sindicato sejam integrados à comissão. Servidor e ex-presidente do Seterb na gestão Décio Lima (PT), Éder Lima criticou a ausência da sociedade civil na comissão. O advogado Ricardo Wippel, da Associação dos Usuários das Rodovias de Santa Catarina, propôs que Blumenau crie um Conselho Municipal de Transporte Coletivo.

Sobre as mudanças, a Agir informou que todas estão em análise, e não é possível confirmá-las. Antes, a agência prometeu ouvir as comunidades envolvidas.

“Vamos procurar usuários dessas linhas e consultá-los sobre a viabilidade dessas mudanças”, disse o representante da Agir que fez uma apresentação, Daniel Antonio Narzetti.

Mudanças em linhas

– Progresso-Santa Maria: as duas linhas foram unificadas em dezembro do ano passado, agora rodando em um trajeto circular. A alteração apenas foi confirmada.

– 101 – Fidélis: uma mudança de percurso está em análise.

– 603 – Tribess: ao invés do ônibus ir ao ponto final e retornar, todos os horários se tornariam circular, tal como já ocorre em alguns momentos do dia, quando o coletivo passa pelo Loteamento Morada do Sol.

– 706 – 25 de Agosto: deixaria de existir e seria absorvida por mais horários nas linhas 602 – Fritz Koegler e 300 – Interbairros.

– 708 – Coripós e 904 – Lúcio Esteves: poderiam virar uma única linha circular, a exemplo do que ocorreu com a Santa Maria-Progresso

Frota

São 246 ônibus de cinco modelos e tamanhos diferentes rodando em Blumenau – 20 deles na reserva. Segundo a Agir, os ônibus do tipo convencional leve poderiam ter a potência do motor reduzida de 220cv para 180cv, sem prejuízo ao serviço. Isso significaria economia tanto na compra dos veículos quanto no custo de rodagem.

Sobre os veículos que ficam de reserva, a Agir afirmou que Blumenau tem o maior percentual de carros reserva do Brasil. Propôs levantar a exigência de cinco desses veículos para baratear o custo.

Redução da tarifa

Se fossem aplicadas as mudanças na operação das linhas e na frota, seria possível reduzir a tarifa para R$ 4,01, segundo os técnicos da Agir. Hoje ela custa R$ 4,05.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio