Por Alice Kienen

Quando meu editor, Cristóvão Vieira, me avisou que eu faria um especial para o aniversário de Blumenau, preciso admitir que fiquei preocupada. Afinal, nasci a alguns quilômetros de distância, em Indaial. Mesmo conhecendo mais sobre a história, geografia e política blumenauense, me perguntei se minha familiaridade com o município seria suficiente.

Mas a verdade é que nenhuma reportagem é feita sem ajuda, e eu pude contar com a maior conhecedora de Blumenau viva: a historiadora Sueli Petry. Quem a conhece, sabe que ela é repleta de memórias e conhecimento sobre a história da cidade. O Arquivo Histórico de Blumenau foi vital para a realização deste trabalho.

A primeira saída para dar início à produção foi em um dia de muito calor, mesmo em pleno inverno. Com os termômetros beirando os 30 ºC e muito sol na cabeça, logo percebemos que não se tratava apenas de saber posicionar a câmera: as lentes antigas eram completamente diferentes das atuais, dificultando reproduzir as fotos com perfeição. Isso sem mencionar as mudanças no entorno.

Percebemos que a região central de Blumenau parece mais arborizada hoje do que nas décadas passadas, o que é ótimo. Mas também tivemos que desviar de placas, postes e cabos de energia. Contudo, com a experiência do fotógrafo que me acompanhou e nossa força de vontade em fazer esse especial dar certo, pudemos entregar este conteúdo para vocês.

O Tiago me surpreendeu, se mostrando tão animado quanto eu para passar os fins de semana andando rua XV acima e rua 7 abaixo com o sol na cabeça, fazendo dezenas de fotos. A companhia (e o profissionalismo) dele certamente tornaram esse trabalho ainda mais proveitoso.

Apesar da chuva e do frio intenso dos últimos dias de agosto, conseguimos finalizar as fotos no primeiro dia em que o sol deu as caras. E com as mudanças da vida, o primeiro aniversário de Blumenau em que homenageio a cidade se tornou também o primeiro como moradora do município.

Sobre o fotógrafo

Tiago Schumacher começou na fotografia registrando as capivaras da Avenida Beira Rio, no Centro de Blumenau, e hoje eterniza casamentos, gestantes, casais e todo tipo de eventos. O fotógrafo também trabalha com imagens aéreas, como as feitas com drone para este especial, e fotografias em 360 graus.

Natural de Taquara, no interior gaúcho, Tiago se mudou para Blumenau aos 20 anos, após a empresa e casa da família serem destruídas por um incêndio. “Ter perdido todas as fotos e lembranças da minha adolescência me levou a ter essa paixão por registrar momentos. A fotografia é como uma máquina do tempo e puxa a memória de volta”, conta.

Como comparar as fotos

O recurso especial permite que você compare as fotos antigas às novas, feitas pela reportagem. Para usar a ferramenta, é só clicar ou tocar no centro da foto e arrastar a seta. Para direita, você vê a foto usada como inspiração. Para a esquerda, a imagem refeita atualmente. Transformações de cenário, mas sempre com edificações que se mantiveram de pé.

Você está vendo: Introdução
___________________________
Veja também:

– Casa Husadel, Casarão da Família Hering, Ponte do Salto: a transformação após 100 anos
– Favela, Casa Royal, City Hotel: a Blumenau dos anos 1940 a 1960
– Lojas Hering, Hotel Rex, igreja Matriz: o charme dos anos 1970 em Blumenau

Deixe uma resposta