Confira praias com ocorrências de águas-vivas e caravelas no litoral catarinense

Desde o início da temporada, mais de 20 mil ocorrências de queimaduras foram atendidas

Confira praias com ocorrências de águas-vivas e caravelas no litoral catarinense

Desde o início da temporada, mais de 20 mil ocorrências de queimaduras foram atendidas

Redação

Do início da temporada de verão, no dia 22 de dezembro de 2019, até o dia 5 de janeiro de 2020, o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina atendeu mais de 20 mil lesões causadas por águas-vivas nas praias do litoral catarinense.

No litoral entre as praias de Itapoá, ao Norte, até Itajaí, ao Sul, foram 345 vítimas até o dia 29 de dezembro. Segundo o 7º Batalhão de Bombeiros Militar, que atende a região, os locais com maior índice de lesões por águas-vivas e caravelas são as praias de São Francisco do Sul, Itapoá e Penha.

Por conta do clima, dos ventos e das correntes marítimas, os seres se aproximam da costa. Por isso, os banhistas precisam ficar atentos à presença dos animais para não entrarem em contato com eles, evitando lesões.

Segundo informações do aplicativo Praia Segura, desenvolvido pelos bombeiros de Santa Catarina, nesta quarta-feira, 9, as praias com alerta para águas-vivas são:

Imbituba

– Praia Balneário Itapiruba Norte, no posto de Madeira e posto Único
– Praia da Vila, no posto Rinsa, posto Sul em frente ao hotel, posto Central de alvenaria, posto Canto
– Praia do Porto, no posto 1
– Praia do Rosa, no posto 1 – Rosa Sul, posto 2 – Rosa Meio e posto 3 – Rosa Norte

Palhoça

– Praia Guarda do Embaú, no posto Central
– Praia da Prainha, no posto Cadeirão Prainha (atrelado ao rancho)
– Praia do Sonho, no posto Central e posto Cadeirão Esquerda Baixio

Florianópolis

– Praia do Matadeiro, no posto Matadeiro
– Praia da Joaquina, no posto Joaquina

Para verificar as mudanças, basta instalar o aplicativo (disponível para celulares Android).

Bandeira lilás indica presença de águas-vivas e caravelas

Ao chegar na praia, o público deve verificar se no posto de guarda-vidas existe uma bandeira lilás hasteada, o que indica a presença de águas-vivas e caravelas na praia. A consulta também pode ser feita no aplicativo Praia Segura.

Além disso, o banhista também pode verificar se existe algum destes seres na orla da praia, o que indica a sua presença no mar.

Como diferenciar

A água-viva é transparente e raramente é visível quando está na água. Já a caravelha tem uma bolsa púrpura ou avermelhada. Ela é vista com mais facilidade porque essa bolsa flutua por cima da linha da água.

O que fazer ao ser lesionado por uma água-viva ou caravela?

Ao ser lesionado por uma caravela ou água-viva, o banhista deve cumprir as seguintes orientações:

– Ir até um posto de guarda-vidas
– Não coçar o local
– Não esfregar e não lavar com água doce, somente com água do mar
– Tirar os cnidócitos com cuidado, usando uma pinça
– Aplicar vinagre de uso doméstico na zona afetada usando de preferência uma gaze, sem comprimir o local
– Se possível, aplicar compressas de gelo para aliviar a dor

Em caso de reação alérgica, encaminhar a vítima ao hospital imediatamente

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo