Crianças pintam muro de lar de idosos de Blumenau em projeto que integra gerações

Iniciativa busca integrar os pequenos com os mais velhos para compartilhar experiências

Crianças pintam muro de lar de idosos de Blumenau em projeto que integra gerações

Iniciativa busca integrar os pequenos com os mais velhos para compartilhar experiências

Alice Kienen

A fachada da Casa São Simeão ficou mais colorida nesta terça-feira, 19. Durante uma tarde de céu azul e muito sol, os idosos do lar e os alunos da escola Anjos da Terra se uniram para registrar no muro do asilo as experiências compartilhadas durante o projeto De Geração para Geração.

Crianças ficaram impressionadas ao verem seus desenhos no muro. Foto: Alice Kienen

Iniciado em 2017 por duas ex-agentes comunitárias de saúde de Indaial, a iniciativa busca integrar os mais velhos com os pequenos para que ambos possam aprender um com o outro. O projeto já foi notícia em programas nacionais, como o Globo Repórter, e está inspirando atividades pelo Brasil desde então.

A ideia surgiu quando a gerontóloga (especialista em envelhecimento) Malvina Juliana Ribeiro ouviu da colega aposentada Maria Teresinha Batista que ela sentia que não conseguia mais contribuir para a saúde da comunidade por conta da idade.

“Ela achava que não tinha mais nada pra ensinar, mas não deixei ela parar. A bagagem, experiência de vida e herança cultural que ela tem é muito rica. Ela ficou tão contagiada que resolveu levar para outros idosos que estavam ociosos em casa e se sentindo desvalorizados”, conta Malvina.

Alice Kienen

O projeto que começou na Cohab de Indaial logo se expandiu para Blumenau e a Casa São Simeão foi a escolhida. A primeira escola visitada foi a General Lúcio Esteves, que fica na mesma rua. Lá, os idosos puderam compartilhar suas experiências e aprender com as crianças.

“O projeto visa dar vez e voz para os idosos nas escolas. Não é só ir lá contar uma historinha. Eles estão passando a história de vida deles. Contribuindo com a sociedade. Um exemplo são as aulas de Educação Física, quando eles se exercitam juntos. As crianças aprenderam a respeitar a limitação deles e incluir os idosos que estão em cadeiras de rodas”, explica a idealizadora do projeto.

Na escola Anjos da Terra, do bairro Água Verde, crianças ainda mais novas ensinaram diversas brincadeiras para os idosos, além de desenharem juntos e mostrarem como mexer em um tablet. Por fim, foi realizado um concurso cultural no qual as crianças desenharam como foi o encontro.

Bianca logo reconheceu o coração que havia desenhado para expressar o amor pelos idosos. Foto: Alice Kienen

Bianca Miranda Goll foi uma das pequenas que teve o desenho selecionado para o muro. A aluna explicou que o coração está lá porque ela amou conhecer os idosos: “Me senti na minha casa”. O sol representa o “raio de sol” que eles são e o anjo está na imagem para pedir que todos fiquem bem.

Os presentes foram uma surpresa para os moradores da Casa São Simeão, que ficaram emocionados com os desenhos. Eles então escolheram os favoritos, que foram reproduzidos no muro do lar.

Todos os desenhos, incluindo os que não foram selecionados, ficarão expostos no lar. Foto: Alice Kienen

“Eu me senti muito feliz, pois é um pedaço da gente que está ali”, conta Anelori Krause, uma blumenauense de 62 anos que há mais de um vive no lar. Sobre a experiência de pintar o muro ela relata: “Foi impressionante! Como pode, né? Sempre temos novas primeiras vezes”.

Anelori se divertiu muito com a experiência de grafitar o muro. Foto: Alice Kienen

A missão do grafiteiro Álvaro Gutowski era reproduzir exatamente o traço das crianças no muro. Morador de Camboriú, ele foi selecionado por já trabalhar em projetos sociais com crianças e escolas na região litorânea.

“Eu amo trabalhar com esse tipo de desenho, especialmente se for voluntariamente. Você dá uma parte de si para uma parede”, relata.

Álvaro ajudou as crianças e idosos a pintarem os desenhos que ele reproduziu no muro. Foto: Malvina Ribeiro

A obra de arte criada pelos alunos da Anjos da Terra e reproduzida por Álvaro com a ajuda dos idosos ficará exposta na rua Norberto Seara Heusi, no bairro Escola Agrícola. Até 2004, o bairro também era conhecido como Asilo, por conta da Casa São Simeão. O muro colorido é um novo motivo para os 77 idosos abrigados atualmente sorrirem ao chegarem no lar.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo