Escola Elza Pacheco restringe evento sobre diversidade a alunos, mas transmitirá via internet

Medida pretende garantir segurança após polêmica gerada por moção de repúdio aprovada por vereadores de Blumenau

Escola Elza Pacheco restringe evento sobre diversidade a alunos, mas transmitirá via internet

Medida pretende garantir segurança após polêmica gerada por moção de repúdio aprovada por vereadores de Blumenau

Bianca Bertoli

A Escola Estadual Professora Elza Pacheco decidiu manter o evento pedagógico sobre diversidade que ocorrerá nesta terça e quinta-feira, dias 14 e 16, às 18h45 e 19h. Após ter recebido moção de repúdio da Câmara de Vereadores, o Festival de Cinema, como é conhecido na escola, foi alvo de intensa polêmica, inclusive nas galerias do Legislativo.

Com a polêmica gerada, a escola decidiu restringir o evento aos estudantes – inicialmente, o convite estava aberto à comunidade em geral. Haverá transmissão online na página da Elza Pacheco no Facebook, já que a escola “quer mostrar para a comunidade o trabalho que é feito”, explica Josué de Souza, um dos professores que coordena o festival. Outra medida foi solicitar apoio à Polícia Militar, que fará a segurança do prédio.

Leia também
Como garantir uma cartinha da campanha Papai Noel dos Correios
BR-470 será interditada para detonação de rochas

Pressionada por vereadores e professores da escola, a Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) prometeu fazer uma análise do caso, mas até hoje não se pronunciou sobre o assunto. Segundo o secretário da ADR, Emerson Antunes, o órgão vai se pronunciar por meio de nota na tarde desta segunda-feira.

O vereador Marcos da Rosa (DEM), autor da moção de repúdio, disse que nenhum representante da Câmara pretende ir à escola durante o evento. No dia 31 de outubro, sete vereadores foram até a instituição para oficializar o pedido de remoção do termo “diversidade de gênero” da programação.

“Nosso pedido para a escola e Secretário Emerson Antunes foi o de que não abordassem o tema diversidade de gênero na escola. Se eles vão acatar ou não, a gente não sabe. Contamos com bom senso da diretora e do próprio secretário, mas se vão simplesmente ignorar a decisão da Câmara… Enfim…”, declarou Marcos.

O festival está na sua quarta edição e promove debates sobre um assunto escolhido pelos estudantes do ensino médio. Além de diversidade de gênero (termo que despertou a ira de parlamentares), serão discutidas diversidade religiosa e cultural.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio