Homem que matou companheira em Blumenau remarca depoimento

Suspeito iria se entregar na delegacia nesta terça-feira

Homem que matou companheira em Blumenau remarca depoimento

Suspeito iria se entregar na delegacia nesta terça-feira

Alice Kienen

O ex-companheiro de Deniza Soares Kukul, que foi morta na madrugada de domingo, remarcou a apresentação para prestar depoimento na Delegacia de Proteção À Mulher (DPCAMI) de Blumenau. Ele é o principal suspeito do crime e deve confessar que esfaqueou a vítima.

De acordo com Franklin Assis, advogado que representa Alessandro Pereira, de 37 anos, o depoimento estava agendado para as 17h30 desta terça-feira, 30. Porém, o autor acabou se atrasando no trânsito e irá à delegacia na quarta.

“Eu tinha uma proposta de minha parte de apresentar ele online para dar depoimento, mas não foi aceito pela doutora Juliana. Mas ele já está em Blumenau e não se negou a vir”, comentou o defensor.

Segundo Franklin, a defesa irá ainda investigar para saber se o caso se trata de homicídio contra mulher ou feminicídio. “Ele não sabe onde acertou o golpe, nem como aconteceu. Ele está sem chão, abalado e desesperado, tentando se recompor psicologicamente”, afirmou.

Ele também reiterou que ainda não há um mandado de prisão contra Alessandro. Portanto, ele ainda não é considerado foragido. Porém, a delegada Juliana Tridapalli já pediu a prisão preventiva dele.

O crime

Na madrugada deste domingo, 28, Deniza Soares Kukul de 29 anos foi esfaqueada e morta após discussão na rua Theodoro Passold, no bairro Fortaleza Alta, em Blumenau. O principal suspeito é o namorado da vítima, de 37 anos.

A Polícia Militar isolou o local para coletar o relato de testemunhas. A mãe da vítima estava no local e informou que estava voltando para casa junto com a filha e genro, um homem de 37 anos.

Após uma discussão iniciar dentro do veículo, o autor do crime parou o carro e desferiu um golpe de canivete no pescoço da vítima. Ele fugiu do local a pé. A Polícia Civil assumiu as investigações do caso.

Amigos lamentam a morte

Deniza era natural de General Carneiro, mas morava em Blumenau com a mãe, filhos e companheiro. Ela deixa enlutados mãe, pai, dois filhos, familiares e amigos. Nas redes sociais, diversos conhecidos lamentaram a perda.

“Você se foi e nos deixou um buraco, como vamos jogar aquele futebol que iríamos marcar. Não acreditamos tão nova, tão linda, tão feliz, vem um covarde e tira sua vida, te tira de nós”, relatou Fran Moraes, amiga da vítima.

“É amiga agora você virou uma estrelinha que tenho certeza que vai ganhar um céu lindo”, publicou outra amiga da vítima.


Receba notícias direto no celular entrando nos grupos de O Município Blumenau. Clique na opção preferida:

WhatsApp | Telegram


• Aproveite e inscreva-se no canal do YouTube

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo