Josué de Souza

Cientista social e professor, é autor do livro Religião, Política e Poder, pela EdiFurb.

“Em Santa Catarina, a política também é um negócio de família”

Colunista comenta a reprodução de sobrenomes na política catarinense e do Vale do Itajaí

Josué de Souza

Cientista social e professor, é autor do livro Religião, Política e Poder, pela EdiFurb.

“Em Santa Catarina, a política também é um negócio de família”

Colunista comenta a reprodução de sobrenomes na política catarinense e do Vale do Itajaí

Josué de Souza

A perpetuação dos sobrenomes na política catarinense

No Brasil e em Santa Catarina, a política também é um negócio de família. Segundo um levantamento da ONG Transferência Brasil, na atual Câmara Federal, 49% dos deputados são originários de famílias políticas. No Senado, este índice supera os 60%.

Se observarmos mais de perto, a biografia dos candidatos ao governo, Senado, Câmara dos Deputados e Assembleia Legislativa, vamos perceber que, assim como na esfera nacional, em Santa Catarina e no Vale do Itajaí acontece um fenômeno de reprodução dos sobrenomes.

O caso catarinense mais famoso, sem dúvida, é o da família Amim. Esperidião Amin Helou Filho (PP) é deputado federal. Já foi prefeito de Florianópolis, duas vezes governador e tenta retornar ao Senado. Sua esposa, Ângela Amin (PP), que também já foi vereadora, prefeita e deputada, é candidata a deputada federal. Seu filho João Amin (PP) tenta a reeleição para a Assembleia Legislativa.

Paulo Bauer (PSDB), atual senador e candidato à reeleição, é filho de Victor Bauer, que foi prefeito de Jaraguá do Sul entre 1966-1970. Seu primeiro suplente é Casildo Maldaner (MDB), que já foi governador e senador e é irmão de Celso Maldaner (MDB), candidato a deputado federal. Na mesma chapa, Ivete Silveira (MDB), viúva de Luiz Henrique da Silveira, é candidata suplente ao Senado de Jorginho Melo (PR).

O candidato a governador pelo MDB, Mauro Mariani, é genro da atual secretária de Educação, Simone Schramm (MDB). Seu concorrente, Gelson Merísio (PSD) é cunhado de Antônio Gavazzoni (PSD), secretário da Fazenda do governo Raimundo Colombo (PSD). Seu vice, João Paulo Kleinübing (DEM), é filho de Vilson Kleinübing, ex-prefeito, ex-governador, ex-senador da República.

Décio Lima (PT), candidato a governador, abriu espaço para a esposa Ana Paula Lima (PT) tentar a ascensão da Assembleia Legislativa para a Câmara Federal. A família já teve o genro Jeferson Forest (PT) como vereador em Blumenau.

Leonel Pavan (PSDB), que por motivo de saúde não é candidato este ano, tenta fazer seu filho Leonel Pavan Junior (PSDB) deputado federal. Ainda entre os candidatos de Blumenau à Câmara Federal, Ericsson Luef (MDB), é filho de Yara Luft (MDB), duas vezes vereadora em Blumenau.

Sylvio Zimmermann (PSDB), vereador e candidato a deputado estadual em Blumenau, também é herdeiro de família política. É sobrinho neto de Pedro Zimmermann, que foi vereador em Blumenau, deputado estadual e deputado federal. Seu avô, Silvio Zimmermann, foi vereador e primeiro presidente da Arena em Gaspar.

Leia colunas anteriores de Josué de Souza

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo