Justiça para Daiana: grupo organiza manifestação após caso de feminicídio em Blumenau

Evento quer chamar atenção para violência contra mulher e cobrar justiça

Justiça para Daiana: grupo organiza manifestação após caso de feminicídio em Blumenau

Evento quer chamar atenção para violência contra mulher e cobrar justiça

Redação

Um coletivo de mulheres blumenauenses está organizando um ato nesta sexta-feira, 27, no Centro da cidade, para pedir justiça pelo assassinato de Daiana dos Santos da Silva, registrado nesta quinta-feira, 26, em Blumenau. O ato está marcado para às 18h, na Praça Dr. Blumenau, na rua XV de Novembro.

Intitulado “Justiça para Daiana, Justiça para todas”, o evento organizado pelo 8M Blumenau/Santa Catarina, quer também chamar atenção para o tema de violência contra a mulher, que muitas vezes resultam em feminicídios.

8M Blumenau – Divulgação

Por nota, Georgia Faust, uma das organizadoras do evento, fala sobre a necessidade de se destacar o tema, focando na parte de prevenção de crimes como estes.

“Perdemos mais uma! Cada vez que uma mulher é assassinada, morre um pouco de cada mulher que sobrevive. O feminicídio não é um ato pontual e isolado, ele é apenas o ápice de uma cultura que normaliza relacionamentos abusivos, e de uma política de estado que não leva esse assunto a sério. Santa Catarina e Blumenau não têm se preocupado com as mulheres, e tampouco têm apresentado políticas públicas minimamente eficazes para combater a cultura machista tão característica de um estado conservador. Desde 2017, 198 mulheres foram assassinadas pelos seus companheiros, namorados ou ex-parceiros. Somente em 2020, Daiana foi a 46ª vítima. 

Não queremos mais medidas punitivas, já temos legislação para esses crimes. Queremos ação do executivo no sentido de prevenir as violências, de acolher as mulheres vítimas de relacionamentos abusivos com uma rede forte e bem equipada, de educar meninos e meninas sobre consentimento e não-violência, com um currículo que fale sobre gênero, de termos uma Secretaria de Estado de Políticas Públicas para Mulheres e um Conselho dos Direitos da Mulher em Blumenau. São coisas tão simples de se fazer, e o fato de não serem feitas comprova o descaso com que as mulheres catarinenses e blumenauenses são tratadas. Parem de nos matar!”.

A organização destaca a necessidade de respeito ao distanciamento social, além do uso de máscaras. O coletivo também pede que as pessoas vistam roupas pretas e levem velas.

 

O crime

O crime ocorreu na manhã desta quinta-feira, 26, no estacionamento de um salão de beleza, onde Daiana trabalhava. Segundo informações divulgadas pela Polícia Militar, o ex-companheiro, que não aceitava o fim do relacionamento, deferiu diversas facadas na vítima, que morreu no local.

Ele fugiu do local de moto, mas foi preso após buscas feitas pela PM. Ele deve responder pelo crime de feminicídio.

A vítima

Daiana dos Santos da Silva tinha 27 anos, era natural de Sete Lagoas, em Minas Gerais. Ela trabalhava como cabelereira no Espalo Margarete – salão de beleza onde foi morta – e também como modelo fotográfica.

Em reportagem do jornal O Município Blumenau, amigos falaram sobre a dor de perder Daiana, em mais um caso de feminicídio.

“A Day era muito alegre, cativava a todos. Ela nunca comentou comigo nem com as outras colegas mais próximas se ele era agressivo. Precisamos falar sobre relacionamentos abusivos”, alertou a amiga Eleni Rodrigues.

“Estamos sem forças para acreditar no que aconteceu. Nós não vamos nos calar, vamos lutar por todas as Daianas”, publicou o Espaço Margarete.


Quer receber notícias diretamente no seu celular? Clique aqui e entre no grupo de WhatsApp do jornal

Prefere ficar bem informado pelo Telegram? O jornal tem um canal de notícias lá. Clique aqui para participar

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo