Morador de Indaial faz vídeo espancando filhas e Polícia Civil investiga

Família está protegida e agressor agora está foragido da polícia

Morador de Indaial faz vídeo espancando filhas e Polícia Civil investiga

Família está protegida e agressor agora está foragido da polícia

Cristóvão Vieira

A Polícia Civil de Indaial investiga um homem que fez um vídeo dentro de casa espancando as próprias filhas. No vídeo – que não será divulgado para preservar as vítimas – ele pede para que uma pessoa, que está com o celular, mostre ele dando tapas no rosto de uma menina.

Em seguida, ele pede para quem está gravando virar o celular para mostrar outra jovem, com um bebê no colo. Todos em volta do agressor choram enquanto ele faz ameaças e segue as agressões.

Segundo o Conselho Tutelar de Indaial, o homem já está afastado do convívio com a família enquanto as investigações têm sequência. A família está recebendo assistência. O Conselho realizou todos os trâmites legais, que envolveram solicitações na Justiça, no Ministério Público e nas polícias Militar e Civil.

O nome do homem não foi informado porque o caso segue em segredo de justiça. Segundo a Polícia Civil, o caso deve ter uma resolução final já na próxima sexta-feira, 26.

Em nota oficial, a Polícia Civil afirma que está buscando o autor das agressões, mas não o encontrou até o momento.

Confira a nota na íntegra:

A Polícia Civil instaurou inquérito policial e investiga um caso de espancamento de crianças por um homem que aparece em um vídeo gravado em uma casa, em Santa Catarina. As três crianças vítimas foram levadas para uma delegacia de polícia na tarde desta terça-feira (26), estão em local seguro e recebendo atendimento psicológico de profissional da Polícia Civil. Quanto ao homem que aparece nas imagens, ele já foi identificado, mas ainda não foi encontrado pelos policiais. O Conselho Tutelar atua em conjunto no caso.

O delegado responsável pela investigação afirmou que todas as providências legais e as medidas cabíveis foram tomadas pela Polícia Civil com a devida prioridade

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo