Mulher feita de refém em empresa de Pomerode é libertada por bandidos

Criminosos deixaram a mulher no Alto Baú

Mulher feita de refém em empresa de Pomerode é libertada por bandidos

Criminosos deixaram a mulher no Alto Baú

Redação

Janice Schwartz, de 23 anos, levada refém durante assalto na empresa Pommer Conservas, em Pomerode, foi abandonada pelos criminosos no Alto Baú, em Ilhota. A notícia chegou à família às 14h20, quando a reportagem do Município Blumenau estava no local. Ela estava em poder dos assaltantes por cerca de duas horas.

Janice procurou ajuda na Cascata Berlim, onde conseguiu um telefone para entrar em contato com a família. O reencontro aconteceu em um supermercado no bairro Belchior, em Gaspar.

No momento em que o telefone tocou, familiares e funcionários da empresa se abraçaram e choraram. Durante a espera, enquanto o pai da garota, Arno Schwartz, explicava aos jornalistas como havia sido o crime, a mãe, Elicina Krüger Schwartz, permanecia sentada, chorando, consolada por pessoas próximas.

Até o momento, os envolvidos no sequestro e assalto não foram presos. A polícia civil de Blumenau também está trabalhando na ocorrência.

O crime

Dois bandidos assaltaram a Pommer Conservas, de Pomerode, no início da tarde desta terça-feira, 5. Eles roubaram R$ 32 mil e quando perceberam que a polícia chegou ao local, sequestraram a filha do dono, fugindo no carro da família, um Strada bordô.

A empresa fica na rua Carlos Belz, bairro Testo Alto. Os bandidos chegaram no horário do almoço e anunciaram o assalto ameaçando as vítimas com armas. Um deles rendeu os funcionários da empresa e o outro obrigou a família proprietária a entrar na casa, que fica ao lado. Todos foram amarrados com lençois.

Os bandidos encontraram o dinheiro que seria usado para pagar os funcionários. Dentro da casa, ainda arrancaram o equipamento que registrava as imagens das câmeras de segurança. Enquanto isso, uma vizinha, que percebeu a ação dos criminosos, chamou a Polícia Militar. Duas viaturas chegaram durante a ação.

“Quando eles estavam prontos para fugir, um olhou pela janela e disse: sujou! Aí começaram a atirar. Daí pegaram a minha filha”, lamenta Arno Schwarz, proprietário da Pommer Conservas.

Um dos tiros disparados pelos assaltantes acertou a parede da cozinha da residência, que fica anexa à empresa. A garota foi levada como escudo humano para que os bandidos pudessem pegar a Strada da empresa e fugir.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo