Um protesto chamou a atenção dos moradores do bairro Valparaíso, em Blumenau, nesta quarta-feira, 6. Um morador da localidade expôs cartaz com os dizeres “Não atravesse nessa faixa, você pode morrer”, logo na frente de uma faixa de pedestres na rua Centenário. Além disso, bloqueou as duas passagens da faixa com fitas de segurança.

A manifestação ocorre após a morte de Amilton da Silva Porto, de 65 anos, no último sábado, 2. Um motorista embriagado o atropelou na faixa. Apesar da situação de embriaguez, a travessia é considerada perigosa. O próprio filho de Amilton mencionou isto em entrevista aqui no blog.

Alguns moradores da localidade, contudo, não aprovaram a manifestação. Isto acabou interrompendo o fluxo de pedestres no local.

Falta de segurança na via é criticada

Para os moradores da região, além da imprudência do motorista, o acidente foi provocado pela falta de segurança da via. “É um perigo atravessar aqui! Essa faixa fica num ponto cego, os pedestres não conseguem visualizar os carros, pois fica logo depois de uma curva”, explica o morador Laercio Cardoso.

No local onde aconteceu o acidente, foi implantado um semáforo que ainda não foi ativado. Para a comunidade, o equipamento não vai resolver o problema da falta de segurança.

“Nós temos três faixas de pedestre, com uma sinaleira que não funciona. Meu pai atravessou na faixa e outras pessoas vinham atrás. Ali é um ponto cego e, geralmente, os motoristas passam em alta velocidade. Infelizmente o motorista alcoolizado veio e acabou cometendo esse acidente. Meu pai morreu por imprudência do motorista e pela falta de segurança da rua”, desabafou o filho da vítima, Jonathan Bachmann Porto.

O acidente

O atropelamento aconteceu no sábado, por volta das 21h30. O idoso chegou a ser encaminhado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos . A namorada dele também foi atingida, mas passa bem.

Segundo a Guarda de Trânsito, o motorista estava embriagado. Ele chegou a ser preso em flagrante, mas foi liberado no domingo mediante algumas medidas cautelares.

Resposta da prefeitura

O secretário de Planejamento Urbano, Ivo Bachmann, alegou que a pintura da faixa antes da instalação do semáforo é o principal problema no local. Isso se deve a uma liminar que suspendeu os serviços em agosto deste ano. Entretanto, o aparelho deve começar a funcionar até o dia 10.

“É importante que se entenda que nós tivemos uma surpresa. Nós tínhamos uma cronologia adequada para pintura das faixas e instalação dos semáforos. Em determinado momento, por um recurso judicial de uma das empresas fez com que nós tivéssemos que mandar parar a instalação dos semáforos. Esse problema não afetou apenas a rua do Centenário”, explica.

A travessia faz parte do projeto que pretende instalar 27 faixas semafóricas em regiões escolares. Está é a quinta faixa de segurança na rua do Centenário, onde o limite de velocidade é de 50 km/h.

“Além do semáforo nós temos outros diversos dispositivos. Nós temos a implantação de 100 faixas elevadas já em andamento na cidade, inclusive algumas delas na rua Emilio Tallmann, muito próximo da rua do Centenário”, afirmou o secretário.

Deixe uma resposta