Operação da Polícia Federal que investiga Ministério do Trabalho cita senador Dalírio Beber

Embora tenhas sido investigado, ministro do STF não viu indícios que exigissem medidas cautelares contra o catarinense

Operação da Polícia Federal que investiga Ministério do Trabalho cita senador Dalírio Beber

Embora tenhas sido investigado, ministro do STF não viu indícios que exigissem medidas cautelares contra o catarinense

Evandro de Assis

Uma operação da Polícia Federal que investiga irregularidades no registro de sindicatos no Ministério do Trabalho foi deflagrada na manhã desta quarta-feira, 30, no Distrito Federal e em sete estados, incluindo Santa Catarina.

A Operação Registro Espúrio cumpriu mandados de busca e apreensão em gabinetes dos deputados federais Paulo Pereira da Silva (SD-SP), Jovair Arantes (PTB-GO) e Wilson Filho (PTB-PB). As sedes nacionais do PTB e do Solidariedade e de centrais sindicais também receberam policiais federais nesta manhã.

O senador Dalírio Beber (PSDB) é citado na investigação. Segundo a Polícia Federal, ele e outros políticos teriam indicado servidores para atuar no Ministério do Trabalho que estariam envolvidos nas supostas irregularidades.

Porém, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, relator do caso, não viu indícios suficientes que exigissem a adoção de medidas cautelares contra o catarinense.

Dalírio afirmou que “não há nenhuma ação minha, que possa ter sido instrumento de loteamento de cargos”. Confira a nota do parlamentar na íntegra abaixo.

Registro Espúrio

A ação da PF cumpre 64 mandados de busca e apreensão, oito mandados de prisão preventiva e 15 mandados de prisão temporária, além de outras medidas cautelares. Os mandados são cumpridos no Distrito Federal e nos estados de São Paulo, Goiás, do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná, de Santa Catarina e Minas Gerais.

Segundo a Polícia Federal, que investiga o caso há um ano, foi descoberto “amplo esquema de corrupção dentro da Secretaria de Relações de Trabalho do Ministério do Trabalho, com suspeita de envolvimento de servidores públicos, lobistas, advogados, dirigentes de centrais sindicais e parlamentares”.

São apurados os crimes de organização criminosa, corrupção passiva e ativa e lavagem de dinheiro. A Polícia Federal em Santa Catarina não quis divulgar informações sobre os municípios do estado onde houve cumprimento de mandados.

Nota divulgada pelo senador Dalírio Beber

Em relação a ter meu nome citado na operação da Polícia Federal, deflagrada nesta quarta-feira, 30, esclareço aos catarinenses e brasileiros, que estou absolutamente tranquilo e ciente da minha inocência, por não ter cometido nenhum ato ilícito.

Não há nenhuma ação minha, que possa ter sido instrumento de loteamento de cargos estratégicos no Ministério do Trabalho, muito menos, fraude na concessão de registros de sindicatos junto a qualquer órgão federal.
Espero que rapidamente a verdade seja restabelecida.

Neste momento, coloco-me inteiramente à disposição da Justiça.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio