Parque Vila Germânica homenageia personagens históricos da Oktoberfest Blumenau

Iniciativa é um resgate da parte histórica do evento após o cancelamento da festa em 2020

Parque Vila Germânica homenageia personagens históricos da Oktoberfest Blumenau

Iniciativa é um resgate da parte histórica do evento após o cancelamento da festa em 2020

Redação

Em momento de forte simbolismo pelo cancelamento da Oktoberfest Blumenau 2020, a Prefeitura de Blumenau, por meio da Secretaria de Turismo e Lazer e Parque Vila Germânica, presta uma homenagem para personalidades que contribuíram decisivamente na consolidação da Oktoberfest de Blumenau como um dos maiores e mais queridos eventos do país.

Nesta que seria a última semana do evento originalmente, a organização instalou placas que identificarão os setores do complexo, cujas denominações foram conferidas através da Lei Municipal 7249/2008, homenageando Helmut Högl, Oswaldo Fiedler e Antônio Pedro Nunes.

Na antiga estrutura da PROEB, Högl e Fiedler já eram postumamente homenageados, nomeando respectivamente os Pavilhões A e D. Infelizmente, quando a estrutura do atual Parque Vila Germânica foi erguida, a identificação dos setores não foi colocada.

“Mesmo tratando-se de uma ação singela, estamos fazendo justiça histórica com essas personalidades tão importantes para a Oktoberfest Blumenau, ainda mais nesse ano tão simbólico, quando pela primeira vez ela não vai acontecer” afirma Marcelo Greuel, presidente do Parque Vila Germânica.

“Durante os anos da Oktoberfest é importante não esquecermos de grandes personagens que fizeram parte dessa grande história”, aponta a historiadora Sueli Petry. “Esses três personagens merecem efetivamente ser homenageados, ser reconhecidos pela sua grande participação e a sua marca que deixou na história da Oktoberfest”.

A arquiteta mestre em Urbanismo, História e Arquitetura da Cidade, professora e pesquisadora Angelina Wittmann se diz muito feliz com a iniciativa, é um resgate de parte da história do evento.

“A iniciativa de valorizar o trabalho daqueles que iniciaram a formatação do Oktoberfest Blumenau é importante como garantia, de fato, do lastro histórico verdadeiro e também, como reconhecimento à obra de quem ajudou construir a festa. Estes deram moldes às práticas pioneiras e desprovidas de referências, ainda com a presença do ranço do nacionalismo – Oktoberfest Blumenau foi e é, palco importante para o resgate cultural de toda uma região com forte e singular perfil identitário”, diz e completa que além de registrar esta homenagem para a história, irá compartilhar isso com os familiares dos homenageados.

Abaixo, segue um breve histórico das personalidades que receberão as placas de identificação, réplicas das originais, e que serão afixadas no hall de entrada, entre os Setores 1 e 2:

Setor 1 – Setor Helmut Högl

O maestro Helmut Högl, cujo falecimento completa 20 anos em 2020 (17 de junho de 2000, aos 64 anos), ainda hoje é lembrado como o maior entre todos os nomes que já passaram pelos palcos da Oktoberfest Blumenau. Högl é autor da música “Hallo Blumenau”, consagrada pelo público como hino oficial da festa. Esteve pela primeira vez na Oktoberfest em 1985, a convite do então Secretário de Turismo Antônio Pedro Nunes, e deixou sua marca com apresentações inesquecíveis nas décadas de 80 e 90, quando era a principal atração e lotava os pavilhões da antiga PROEB.

“Hallo Blumenau” foi consagrada na edição de 1989 (6ª edição) e continua sendo onipresente no evento desde então. É uma celebração à alegria da festa, ao orgulho de ser blumenauense e ao desejo de sempre retornar para nossa bela Blumenau. Helmut Högl, que se apresentou pela última vez na Oktoberfest em 1994, deixou uma legião de fãs e um legado que estará marcado para sempre no coração dos blumenauenses e da segunda maior Oktoberfest do planeta.

Setor 2 – Setor Oswaldo Fiedler

O empresário Oswaldo Fiedler foi um dos grandes incentivadores da Oktoberfest de Blumenau. Amante de música, o então proprietário da Auto Viação Catarinense era fã incondicional da “blasmusik”, a tradicional música alemã, sendo fundamental para a vinda de várias bandas alemãs para Blumenau e tornando-se a uma das principais referências para os músicos alemães que vinham para a festa. Foi patrocinador oficial do transporte das bandas alemãs por várias edições, fato que o aproximou dos grandes artistas da festa, inclusive com o maestro Helmut Högl, com quem nutriu forte amizade pessoal. Deve-se muito da consolidação da vinda das tradicionais bandas germânicas para a Oktoberfest Blumenau ao seu entusiasmo pela festa.

Oswaldo Fiedler faleceu no dia 2 de março de 2003, no mesmo ano da inauguração do Pavilhão D, que receberia seu nome. Pouco mais de um ano depois de inaugurado, o espaço foi desmontado, dando lugar ao novo complexo, o Parque Vila Germânica.

Setor 3 – Setor Antônio Pedro Pereira Nunes

Antônio Pedro Pereira Nunes foi o Secretário de Turismo responsável pela realização das primeiras edições da Oktoberfest Blumenau. Junto com sua esposa Marga Holzmann Nunes, foi proprietário da primeira agência de turismo de Santa Catarina. A Oktoberfest seria uma oportunidade de mostrar Blumenau para todo o Brasil, e agradecer toda solidariedade e amparo recebido pela cidade durante as enchentes de 83/84.

A festa consolidou-se rapidamente, tornando não apenas a grande referência de Blumenau em todo o Brasil, como também revitalizando uma área pouco explorada até aquele momento, a FAMOSC, espaço hoje conhecido como Parque Vila Germânica. Antônio Nunes, que ficou marcado como um dos mais importantes nomes da história da festa, faleceu em 28 de janeiro de 2008, aos 67 anos.


Quer receber notícias diretamente no seu celular? Clique aqui e entre no grupo de WhatsApp do jornal

Prefere ficar bem informado pelo Telegram? O jornal tem um canal de notícias lá. Clique aqui para participar

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo