Pesquisadores de Blumenau buscam em Cambridge documentos inéditos sobre Fritz Müller

Instituto Histórico de Blumenau assinará um acordo de cooperação técnica com a Biblioteca da Universidade de Cambridge

Pesquisadores de Blumenau buscam em Cambridge documentos inéditos sobre Fritz Müller

Instituto Histórico de Blumenau assinará um acordo de cooperação técnica com a Biblioteca da Universidade de Cambridge

Evandro de Assis

Blumenau está prestes a fechar um acordo de cooperação que pode ajudar a cidade a descobrir novas informações sobre um de seus mais famosos cidadãos: o naturalista Fritz Müller. O Instituto Histórico de Blumenau (IHB) e a Biblioteca da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, devem formalizar um auxílio mútuo para troca de conhecimento.

Entre as informações que, já se sabe, aguardam o interesse de pesquisadores blumenauenses estão cartas inéditas trocadas entre Fritz e o britânico Charles Darwin. O naturalista alemão que passou a maior parte da vida em Blumenau foi um dos principais colaboradores de Darwin no fortalecimento da teoria da evolução por meio da seleção natural das espécies.

O objetivo do termo de cooperação técnica é formalizar uma aproximação de blumenauenses com profissionais do Darwin Correspondence Project, que administra o acervo de correspondências do cientista britânico com pessoas espalhadas pelos cinco continentes.

Michael Delaney, cônsul honorário do Reino Unido em Santa Catarina, esteve na sede do projeto em junho e manifestou o interesse brasileiro. Agora, o presidente do IHB, Marcos Schroeder, enviará um ofício para formalizar a cooperação.

“O objetivo foi explicar para o pessoal de lá que havia estudos em Blumenau. Lá tem uma pessoa que é expert justamente na parte de Fritz Müller”, conta Delaney.

A historiadora Ana Maria Moraes é uma das principais interessadas em fazer contato com a colega britânica. Organizadora de uma exposição sobre Fritz Müller e uma das entusiastas da importância do naturalista para a ciência mundial, ela já mapeou no arquivo eletrônico de Cambridge 35 cartas entre Fritz e Darwin desconhecidas no Brasil. Ela espera ter contato com essa correspondência e descobrir outros documentos inéditos.

“A formalização deste termo chamará a atenção sobre um acervo que está disponível e ao qual não recorremos. O que podemos extrair disto dependerá de nosso interesse e iniciativa de questionar antigas publicações e trazer novas informações”, afirma Ana.

Segundo Ana Maria, há o interesse de aproximação com outras instituições que preservem parte da memória relacionada a Fritz Müller. Um acordo semelhante está em negociação com o Museu Zoológico Alexander Koenig, de Bonn, Alemanha.

Vida de Fritz Müller

Um exemplo recente de como os contatos com instituições internacionais pode ajudar Blumenau a compreender melhor um dos seus mais ilustres moradores é o documento encontrado junto à Universidade de Greifswald, Alemanha.

Nele, Fritz Müller solicita à faculdade de Medicina uma mudança no protocolo de juramento de sua formatura. Ateu convicto, Fritz não concordava com a menção a Deus no texto.

A resposta negativa da faculdade levaria o naturalista a desistir do diploma, apesar de concluir o curso. As dificuldades pessoais, profissionais e políticas que Fritz enfrentaria a partir da drástica decisão o levaram a emigrar para o Brasil, o que de fato ocorreria em 1852.

Correção

Até 15h59 o texto informava que o Darwin Correspondence Project está sediado em Londres. Na verdade, ele fica na cidade de Cambridge. A versão acima já foi corrigida.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio