Prefeito anuncia extinção da Companhia Urbanizadora de Blumenau

Próximo passo da reforma administrativa é a reestruturação das secretarias

Prefeito anuncia extinção da Companhia Urbanizadora de Blumenau

Próximo passo da reforma administrativa é a reestruturação das secretarias

Redação

A Companhia Urbanizadora de Blumenau, URB, será extinta a partir desta sexta-feira, 8. A decisão foi anunciada em coletiva à imprensa blumenauense nesta manhã. Esta é a primeira etapa da reforma administrativa proposta pela prefeitura de Blumenau em 2019.

A URB é uma empresa de economia mista criada em 1971 que tem a prefeitura como acionista majoritária. Desde então, vem atuando nas áreas de pavimentação, construção civil, limpeza e manutenção das ruas da cidade. Entretanto, os contratos com a Urbanizadora estão saindo muito caro para o poder público e os resultados são considerados ineficientes.

Cerca de 75 cargos comissionados serão exonerados e mais de 500 funcionários serão desligados. O prefeito Mário Hildebrandt garantiu que todos os direitos trabalhistas serão garantidos para os colaboradores da URB.

“Se alongássemos o problema, não teríamos condição de arcar com a rescisão destes funcionários. Logo, não conseguiríamos pagar outros setores da prefeitura e acabaríamos afetando a saúde, a educação e o bem estar da população. Estamos apenas adiantando a solução de um problema que se agravaria em pouco tempo”, explica o prefeito.

Problemas financeiros

A Urbanizadora já vem enfrentando dificuldades financeiras há alguns anos, causando prejuízos para prefeitura. No último mês, a empresa registrou atrasos no pagamento do Vale Alimentação e em parte dos salários dos funcionários. A prefeitura calcula que, em no máximo três meses, o pagamento de direitos trabalhistas também seria afetado.

As dificuldades vêm sendo remediadas com constantes aportes por parte da Prefeitura de Blumenau. Em 2013, por exemplo, o aporte foi de R$ 300 mil. Três anos mais tarde, em 2016, o valor passou para R$ 1,9 milhão e em 2018 chegou à R$ 4 milhões. Sem medidas imediatas, a projeção é de que o valor do aporte em 2020 possa chegar à R$ 20 milhões, custo duas vezes superior ao empenhado na reurbanização da Rua Bahia, por exemplo. Áreas como saúde e educação perderiam investimentos essenciais.

Os serviços de manutenção e limpeza da cidade devem ser normalizados até o mês de abril. Até lá, empresas privadas serão contratadas em caráter de urgência. O próximo passo da reforma administrativa será a reestruturação das secretarias da prefeitura, que deve ser discutida ainda no final de março.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo