Quais são as ruas de Blumenau mais vigiadas por radares móveis em 2017

Preferidas da fiscalização têm características que estimulam a velocidade, mas não figuram entre as campeãs de acidentes

Quais são as ruas de Blumenau mais vigiadas por radares móveis em 2017

Preferidas da fiscalização têm características que estimulam a velocidade, mas não figuram entre as campeãs de acidentes

Julia Schaefer

Colaboração Sávio James Pereira

Semanalmente, a prefeitura de Blumenau divulga uma lista com as ruas que poderão ser fiscalizadas por radares móveis. O alerta é enviado à imprensa e fica disponível a quem quiser consultar no site do município. A reportagem do Município Blumenau mergulhou nos dados de todos os alertas de fiscalização emitidos entre 1º de janeiro e 8 de dezembro. Depois de tudo tabulado, descobriu-se que 60 vias tiveram aviso de monitoramento com radares móveis – ou secadores, como são popularmente conhecidos. Seis delas são alvos preferidos do Seterb. Veja a lista das vias mais vigiadas de 2017.

Ruas Aviso de Fiscalização
Complexo do Badenfurt 349
Rua Dois de Setembro 349
Rua das Missões 349
Rua Engenheiro Paul Werner 349
Rua República Argentina 349
Via Expressa 349
Rua Itajaí 348
Rua São Paulo 342
Rua Antônio Treis 341
Rua Frederico Jensen 328

 

Segundo o presidente do Seterb, Carlos Lange, uma equipe de fiscalização tem a responsabilidade de selecionar as ruas que recebem os agentes com os radares.
Há algumas semelhanças entre as seis ruas mais citadas (349 vezes) nas listas do Seterb. Todas têm pista dupla, o que facilita a vida dos apressadinhos. Com exceção da Engenheiro Paul Werner, que é de mão única, todas as demais contam com canteiro central. Duas são vias expressas que conectam a cidade com a BR-470. As ruas Itajaí (348 avisos de fiscalização) e Antônio Treis (341), que também se caracterizam como rotas de acesso à cidade, ficaram logo atrás.

“Entre as premissas que são analisadas estão o excesso de velocidade médio, a quantidade de acidentes na via, se há sinalização adequada para poder fazer a fiscalização, de acordo com as Leis de Trânsito, entre outros. Também levamos em consideração a solicitação da comunidade, diretamente por Associação de Moradores, e também pela Câmara de Vereadores”, explica.

Acidentes

Embora se enquadrem no quesito “convite ao excesso de velocidade”, pela infra-estrutura existente, a maioria das campeãs de vigilância em 2017 não se destaca no ranking de vias com mais acidentes no ano.

Apenas três estão entre as 10 com maior índice de acidentes em 2017: Rua Dois de Setembro (82 acidentes, dois deles com mortes) rua São Paulo (também com 82 acidentes) e a Via Expressa (71 acidentes, nenhum fatal). Confira no quadro abaixo:

Ruas Aviso de Fiscalização Número de Acidentes Ranking de acidentes
Complexo do Badenfurt 349
Rua Dois de Setembro 349 82
Rua das Missões 349 23 29º
Rua Engenheiro Paul Werner 349 35 19º
Rua República Argentina 349 45 18º
Via Expressa 349 71
Rua Itajaí 348 46 17º
Rua São Paulo 342 82
Rua Antônio Treis 341 5 78º
Rua Frederico Jensen 328 58 12º



Vias que figuram entre as campeãs de acidentes, por outro lado, pouco são fiscalizadas. A Rua Amazonas, no Garcia, por exemplo, foi mencionada nas listas de fiscalização apenas 40 vezes. No período analisado, 117 acidentes aconteceram na via. A rua General Osório, na Água Verde, por sua vez, não esteve em nenhuma das listas, mas 97 acidentes foram registrados até novembro.

A Coordenadora do Movimento Maio Amarelo, Márcia Pontes, cita quais os principais critérios que devem ser levados em consideração para a fiscalização das ruas.

“Para começar, precisa fazer um levantamento das ruas com mais acidentes e saber em quais delas o componente velocidade é determinante. A fiscalização de velocidade deve ser feita onde a presença da velocidade não é apenas uma constante, e sim onde ela provoca acidentes”, afirma.

Mesmo assim, Pontes acredita que a fiscalização por radares móveis auxilia no aumento da segurança nas ruas.

“Eu apoio a fiscalização de velocidade. Quem reclama do limite de velocidade é aquele que corre, já quem é consciente anda a um pouco menos da velocidade máxima. Com menos velocidade eu presto atenção, tenho tempo de frear. Quanto maior a velocidade, maior o número de mortos”, argumenta.

Alexandre Gevaerd já foi Secretário de Planejamento nos governos Décio Lima e Napoleão Bernardes, e hoje é secretário do município de Gaspar. Ele também defende a utilização dos radares móveis como instrumento para a diminuição dos acidentes.

“Não só ajuda a diminuir o número de acidentes como ajuda as pessoas a terem mais respeito. Eu defendo muito mais a fiscalização móvel do que qualquer dispositivo físico, que por vezes é mal pintado, mal sinalizado, e acaba punindo bombeiros, os ônibus… Não tenho dúvidas que este tipo de dispositivo é altamente eficiente”, diz.

Para o próximo ano, o Seterb pretende manter o sistema de fiscalização das vias de Blumenau. E de divulgação da vigilância.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo