Quase uma tonelada de carne é retirada de supermercados de cidades do Vale do Itajaí

Ação conjunta também interditou três açougues e uma padaria nos estabelecimentos

Quase uma tonelada de carne é retirada de supermercados de cidades do Vale do Itajaí

Ação conjunta também interditou três açougues e uma padaria nos estabelecimentos

Cristóvão Vieira

Uma ação do Ministério Público (MP) em conjunto com a Polícia Militar, a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), o Ministério da Agricultura e também as vigilâncias sanitárias estadual e municipal retirou de circulação cerca de 900 quilos de carne inadequada para consumo em três supermercados: um em Brusque e dois em Botuverá. Os nomes dos supermercados foram preservados pelo MP.

No supermercado de Brusque, localizado no bairro Limeira, foram encontrados pouco menos de 300 quilos de carne. No local foram interditados tanto o açougue quanto a padaria, sendo o estabelecimento impedido de comercializar quaisquer alimentos que envolvam carnes. Para a venda dos demais produtos, o supermercado está liberado.

Nos dois supermercados em Botuverá, ambos no Centro, o volume de carnes retiradas foi praticamente o mesmo, sendo que nos dois lugares os açougues foram interditados.

Segundo a promotora Susana Perin Carnaúba, da quarta Promotoria de Justiça da Comarca de Brusque, a ação se baseou em uma denúncia encaminhada ao MP:

“A denúncia era de que os supermercados estariam comprando carnes já vencidas ou estragadas de outros supermercados, para moer, utilizar em pastéis ou salgados ou até mesmo fracionar, reduzindo pedaços e revendendo em bandejas menores”.

Ao chegar no local foi constatada uma série de irregularidades, desde a procedência das carnes até questões como a conservação dos produtos e a refrigeração:

“Nós não conseguimos flagrar caminhões trazendo estas carnes, mas tudo aponta para que a denúncia seja verdadeira”, diz Susana.

Agora, além de uma multa que pode girar em torno de dez salários mínimos – cerca de R$ 9,5 mil – os três supermercados receberam um prazo para que os produtos sejam regularizados e somente mediante uma nova fiscalização poderão voltar a comercializar carnes.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo