Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Nome de Raimundo Colombo volta a ser cotado para concorrer ao governo do estado

Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Nome de Raimundo Colombo volta a ser cotado para concorrer ao governo do estado

Raul Sartori

Caldeirão
Quase que diariamente surgem chapas com nomes novos ou velhos se articulando para a sucessão de Carlos Moisés. Uma que chegou à lume ontem aponta a união de Raimundo Colombo, do PSD, ao governo do Estado, com Ângela Amin, do Progressistas, de vice, e Geovânia de Sá, PSDB, para o Senado. A presença feminina é algo que pode agregar muitas simpatias e… votos.

Trovão candidato
Marcos Antônio Pereira Gomes, o famoso caminhoneiro catarinense Zé Trovão, no momento em prisão domiciliar, quer entrar na política. Começou procurando o PTB de SC com seu projeto de lançar-se candidato à Câmara dos Deputados. Como não sentiu a firmeza necessária, acabou se filiando ao PL, sob bençãos do senador Jorginho Mello, que ainda não decidiu se banca ou não seu projeto político.

Adiando…
Já se passaram três meses da sanção, por Bolsonaro, da lei federal 14.299/2022 e o governo não tem nenhuma previsão para a publicação do decreto que vai criar o conselho responsável pela elaboração do plano do Programa de Transição Energética Justa (TEJ) para a região carbonífera de SC. A lei determina que o grupo, formado por representantes dos governos federal e estadual e da iniciativa privada, tem até janeiro de 2023 para implementar o plano que envolve medidas, ao longo dos próximos 18 anos, de redução de emissões de gases de efeito estufa, como o gás carbônico, e de substituição gradual da geração a carvão, até o completo encerramento da atividade termelétrica carbonífera no Estado em 2040.

Direitos humanos
Lamentável que na votação sobre a suspensão da Rússia do Conselho de Direitos Humanos (CDH) da ONU, em resposta às denúncias de atrocidades envolvendo militares russos na Ucrânia, o Brasil se absteve, junto com países com péssima reputação no que se refere a direitos humanos, como Bahrein, Bangladesh, El Salvador, Arábia Saudita e Uganda. Covardia à parte, é assim que o Brasil se tornou internacionalmente desimportante e agora conivente com um genocídio. Triste.

Nossa Pisa
O prefeito da pequena Pedras Grandes, Agnaldo Filippi, no sul de SC, está em Pisa, na Itália. Foi ver “in loco” a famosa torre inclinada e assim ter mais elementos para concretizar seu sonho: construir uma réplica na sua cidade.

Tensão
Alguém andou procurando extintores para evitar um incêndio entre o deputado estadual e pré-candidato ao Senado Kennedy Nunes (PTB), que não gostou de ser preterido por Bolsonaro, que indicou para a vaga é o ex-secretário nacional da Pesca, Jorge Seif Junior. Tudo bem, admite Kennedy, notório pavio-curto, mas gostaria de ter sido ouvido. Tem total razão.

Sem paradeiro
Respondendo a pedidos, não há nenhuma atualização a fazer, aqui, sobre a historiadora alemã Brigitta Fischer, de quem, a pedido de escritório de advogados no Rio de Janeiro, esta coluna, sob total confidencialidade, tentou procurar contatos dela em SC, onde esteve em 2013. Aparentemente, ela exerce seu trabalho sob absoluta discrição, ausente completamente de redes sociais ou outros meios, inclusive telefone, que possam indicar seu paradeiro. Quando veio, foi para investigar possíveis herdeiros de pessoas, principalmente judias, que morreram durante a 2ª Guerra, em campos de concentração. São 60 mil, que deixaram heranças, sem sucessores conhecidos.

Fake news
Começou a propagação, pelas redes sociais, de mensagens falsas sobre as eleições. Entre elas de que a Justiça Eleitoral estaria cancelando o título de eleitor de quem tem mais de 70 anos. Um total absurdo.

Pedras preciosas
Desde que tomou posse como prefeito de Florianópolis, Topázio Silveira Neto chama a atenção pelo nome. Tem tido que dar explicações aos curiosos. Herdou-o do avô, nascido no início dos anos 1900 em Laguna. Naquela época era moda dar o nome de pedras preciosas aos filhos e por isso nasceram Pérola, Rubi, Diamantino e Topázio. No caso, o pai do prefeito quis homenagear o avô. É o prefeito confessa à coluna: adora seu nome.

Deu certo
Regulamentada recentemente, a lei estadual catarinense que permite aos autistas ter uma carteira que garante a eles atendimento prioritário em serviços públicos e transporte intermunicipal, deu certo. Já foram expedidos mais de dois mil documentos, pela Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE) e outras 30 entidades parceiras. Detalhe: Abril Azul é o nome da campanha de conscientização sobre o autismo que visa dar visibilidade sobre o tema em SC ao longo deste mês.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo