Reunião de última hora evita fechamento do aeroporto Quero-Quero

Município conseguiu prorrogar a data de assinatura do contrato de concessão com a Aeronáutica

Reunião de última hora evita fechamento do aeroporto Quero-Quero

Município conseguiu prorrogar a data de assinatura do contrato de concessão com a Aeronáutica

Redação

Após uma confusão, a prefeitura de Blumenau conseguiu prorrogar a data de assinatura do contrato de concessão com a Aeronáutica, que autoriza o funcionamento do aeroporto da cidade. Em novembro a instituição avisou que o aeroporto seria interditado no dia 24 de dezembro. Tudo devido a uma falha interna.

Conforme conta o presidente do Seterb, Marcelo Schrubbe, o município precisa responder ao órgão federal que tem interesse em continuar as atividades, assim, renova-se o contrato de concessão.

A resposta teria sido enviada em setembro, mas o funcionário que a recebeu na Aeronáutica mudou de setor e não deu continuidade ao processo.

Sem tempo para enviar os documentos e fazer uma nova solicitação, Schrubbe foi ao Rio de Janeiro e explicou a situação. Assim, a Aeronáutica alterou a data de 24 de dezembro para 15 de janeiro. No dia 7 o prefeito deve assinar o contrato.

Com ele em mãos, o município tem um ano para se adequar às novas exigências, como a elaboração de um plano diretor do aeroporto.

“Ele vai definir desde a questão do muro, do entorno, a altura dos prédios ao redor, fluxo de pista…Depois de pronto, é incorporado ao plano diretor da cidade”, explica Schrubbe.

Sinalização noturna

A Secretaria de Aviação Civil (Sac) deve enviar ainda neste mês R$ 1,5 milhão para implantação de iluminação noturna no aeroporto Quero-Quero.

Com a sinalização no Aeroporto Regional de Blumenau, o espaço poderá ser melhor utilizado pelo helicóptero Arcanjo. Atualmente, a aeronave do Corpo de Bombeiros, assim como todas as outras que fazem uso do Quero-Quero, só podem pousar e decolar à luz do dia.

Correção

Até 21h36 desta sexta-feira, 21, a notícia acima informou que o erro burocrático foi cometido por um servidor do município. Na verdade, foi um funcionário da Aeronáutica que não deu sequência ao processo após mudar de setor. O texto acima já foi corrigido.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo