Depois do candidato Guto Reinert (Podemos) ter sua candidatura rejeitada pelo Tribunal Regional Eleitoral por entenderem que sua descompatibilização do cargo de diretor do Samae de Blumenau foi fora do prazo estipulado por lei, nesta sexta-feira, 23, foi a vez do também candidato a vereador Jadison Fernandes (PSD) que teve seu registro negado pela justiça por não se enquadrar na lei de ficha limpa.

No caso de Guto Reinert, o TRE informou que ele deveria ter deixado o cargo em comissão que ocupava no Samae no dia 4 de abril deste ano, mas ele saiu somente no dia 14 de agosto. Guto entende que saiu na mesma data que os demais membros da administração, mas a justiça relatou no despacho que, como o Samae é uma autarquia e não pertence à administração direta, a data para deixar o cargo teria que ser mesmo no início do mês de abril.

No caso de Jadison Fernandes, o TRE verificou que o candidato do PSD tem uma condenação criminal transitada e julgada por crime contra o meio ambiente e a saúde pública na cidade de Gaspar, ficando ele sujeito às penalidades da lei de ficha limpa que o impossibilita de concorrer nas eleições de 2020.

Tanto Guto Reinert quanto Jadison Fernandes já informaram que vão recorrer das sentenças e pretendem reverter essa primeira decisão do TRE esclarecendo as dúvidas e conseguindo o registro definitivo para voltarem a disputar a vaga de vereador em Blumenau.

 


Quer receber notícias diretamente no seu celular? Clique aqui e entre no grupo de WhatsApp do jornal

Prefere ficar bem informado pelo Telegram? O jornal tem um canal de notícias lá. Clique aqui para participar

Deixe uma resposta