- O Município Blumenau - https://omunicipioblumenau.com.br -

Secretário de Turismo de Blumenau descarta “manobra política” em mudança do projeto do Centro de Convenções

No último dia 21 de fevereiro publiquei uma nota em que o deputado estadual Ricardo Alba (PSL) questionou o secretário de Turismo de Blumenau, Marcelo Greuel, sobre a revisão do projeto do novo Centro de Convenções de Blumenau.

Já tinha conversado também com a assessoria do governador Carlos Moisés (PSL), descobrindo que o próprio governador também estranhou a mudança do projeto depois da liberação dos R$ 28 milhões, anúncio este que aconteceu em setembro de 2019. Fui conversar então com Greuel para encontrar uma resposta sobre essa dúvida.

Marcelo Greuel assumiu no final de maio de 2019 e o projeto do novo Centro de Convenções, que é de 2014, já estava em trâmite no governo do Estado, que estava tentando junto ao BNDES um financiamento para a obra.
Depois de idas e vindas, não se conseguiu essa linha de financiamento e o projeto voltou para a estaca zero.

A partir daí, em 2019, Marcelo Greuel começou a procurar outros lugares para que o Centro de Convenções fosse instalado, pois julgava que o local atrás do setor 3 do Parque Vila Germânica não era adequado.

Locais como um terreno na Itoupava Central e o prédio da antiga Expofair, na esquina da rua João Pessoa com a rua Itapiranga, foram cogitados.

Como não se tinha mais o dinheiro do BNDES, a intenção era rever o projeto para que a obra fosse construída no terreno ao lado do Ginásio Sebastião Cruz, o Galegão, com recursos da prefeitura e da nova licitação das cervejarias que exploram a Oktoberfest, nos mesmos moldes da construção do Pavilhão Eisenbahn.

O secretário disse ter conversado com várias pessoas ligadas ao turismo da cidade, como os organizadores da Febratex e Festival da Cerveja, e todos foram unânimes em afirmar que o local, junto ao prédio do setor 3 da Vila Germânica, não era viável. Marcelo também destacou que, com a obra junto ao setor 3 da Vila, o canteiro de obras do novo prédio ficaria dentro do setor 3 do Parque, o que poderia inviabilizar alguns eventos e também a Oktoberfest naquela área.

Em setembro de 2019, Moisés veio para Blumenau anunciar a liberação de vários recursos oriundos do Estado, sendo que um deles era para a construção do tão sonhado Centro de Convenções.

As dúvidas

É aí que todo o desencontro de informações começa. O governo de Santa Catarina liberou os R$ 28 milhões no fim de 2019 e o Parque Vila Germânica resolveu adequar o antigo projeto, que prevê um Centro de Convenções de 1.240 lugares, para a área do lado do Galegão.

Segundo Marcelo Greuel, o dinheiro não necessita de um projeto previamente entregue para ser liberado. O dinheiro foi liberado e o Parque Vila Germânica tem até o dia 10 de março para entregar o projeto para análise do governo do Estado, através dos órgãos ligados ao turismo. É preciso lançar o edital até 10 de junho, conforme prazos estipulados anteriormente entre a prefeitura e governo estadual, segundo Greuel.

Para o secretário de Turismo de Blumenau, essas mudanças não têm nada a ver com o lado político, até porque, segundo ele, Moisés tem mais três anos de governo e o prefeito Mário Hildebrandt pode sair em dezembro. Greuel afirma que está tudo dentro do prazo. “Essa obra é para Blumenau, para o turismo da cidade e não para esse ou aquele prefeito”.

O que diz o ex-secretário

Alesc/Divulgação

Fui ouvir o ex-secretário de Turismo de Blumenau, Ricardo Stodieck, que ficou no cargo até maio de 2019. Segundo ele, o projeto que contemplava a construção do Centro de Convenções nos fundos do Setor 3 da Vila Germânica, se deu por conta de, naquele setor, a cozinha ser muito bem equipada e facilitaria os serviços gastronômicos quando houvesse eventos no novo Centro de Convenções.

Além disso, o terreno ao lado do Galegão seria deixado para o Parque de Diversões durante a Oktoberfest, pois como a festa estava se transformando em um evento familiar, era essencial que houvesse um terreno grande para esse fim, tamanha a dificuldade que já se tinha de trazer um parque de diversões com aquele terreno.

Stodieck diz estranhar as alegações da prefeitura neste momento, pois Hildebrandt, na figura de vice-prefeito naquela época, também aprovou o projeto dentro do Parque Vila Germânica.

Segundo Stodieck, a obra no Setor 3 seria feita em etapas no período em que não estivesse em uso, até porque não se pode parar a Vila Germânica por conta dos eventos que ali acontecem. A obra tinha o prazo de um ano e meio e o dinheiro disponibilizado era suficiente para a conclusão do projeto.

Como não houve uma transição de governo na sua saída da Secretaria, ele nunca foi ouvido pela atual administração sobre os porquês desse e de outros projetos do Parque Vila Germânica.

O questionamento que Stodieck faz agora é “aonde vão colocar o Parque de Diversões se construírem o Centro de Convenções ao lado do Galegão. Vão comprar um novo terreno?”
Enfim, coube a este colunista ouvir os principais envolvidos e sempre estamos à disposição para mais esclarecimentos, mas vai caber ao leitor analisar e achar quem está certo nessa história.