Seterb reduz fiscalização com radares e prepara substituição por lombadas eletrônicas

Segundo o presidente da autarquia, Marcelo Schrubbe, número de operações foi reduzido em até 40%

Seterb reduz fiscalização com radares e prepara substituição por lombadas eletrônicas

Segundo o presidente da autarquia, Marcelo Schrubbe, número de operações foi reduzido em até 40%

Evandro de Assis

Há quanto tempo você não vê um guarda de trânsito com um radar portátil apontado na sua direção? Embora o Seterb continue divulgando semanalmente extensas lista de vias a serem fiscalizadas, encontrar os populares “secadores” está mais difícil.

Operações com os radares eletrônicos foram reduzidas entre 30% e 40%, confirma o presidente da autarquia, Marcelo Schrubbe. A ideia é diminuir ainda mais.

Em junho, termina o contrato da empresa que mantém 40 lombadas eletrônicas em Blumenau. Na renovação, o município pretende contratar 100 redutores fixos de velocidade, substituindo a fiscalização móvel.

Assim, o Seterb, pretende contornar as críticas frequentes sobre o elemento surpresa da fiscalização móvel e o argumento da “indústria da multa”. Porém, não será o fim dos secadores, garante Schrubbe:

“Não eliminaremos porque o motorista tem que ter a sensação de que ele pode ser fiscalizado em qualquer lugar”, defende.

Prevenção a acidentes

De acordo com Schrubbe, a Guarda segue fiscalizando com radares portáteis em pontos onde ocorreram acidentes considerados graves nos últimos três anos. Locais em que a velocidade máxima é de 40 km/h, por exemplo, não serão mais fiscalizados.

Prefeitura de Blumenau/Divulgação.

Alta rejeição

A fiscalização com secadores tem alta rejeição entre os motoristas de Blumenau, algo que pode ser medido pelos comentários em redes sociais e pela reação de vereadores quando o assunto chega ao Legislativo.

Em novembro do ano passado, os parlamentares aprovaram um requerimento que solicitava a suspensão do uso do aparelho.

Em fevereiro, o vereador Jovino Cardoso (PROS) propôs a proibição do equipamento nas vias municipais. Outros parlamentares frequentemente criticam a falta de clareza sobre o destino dado ao dinheiro das multas.

Nos últimos anos, o Seterb já havia modificado protocolos de atuação dos guardas e enfatizado a divulgação das vias em que a fiscalização pode ocorrer, na tentativa de suavizar as críticas.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo