Seterb vai investigar abastecimento de carros particulares por agentes da Guarda de Trânsito

Vídeos mostram servidores levando veículos ao Posto Mime, na BR-470, que não fornece combustível ao município

Seterb vai investigar abastecimento de carros particulares por agentes da Guarda de Trânsito

Vídeos mostram servidores levando veículos ao Posto Mime, na BR-470, que não fornece combustível ao município

Julia Schaefer

Colaborou Evandro de Assis

Em meio à escassez de combustível em Blumenau e região, vídeos de agentes da Guarda de Trânsito abastecendo veículos particulares em um posto da BR-470 geraram desconfiança e indignação. Nas imagens, os veículos aparecem diante de bombas de gasolina do Posto Mime, que fica no bairro Badenfurt.

O Seterb afirmou na manhã desta quarta-feira, 30, que o posto não é um dos licitados pelo município para fornecer combustível à frota pública. No entanto, irá abrir uma sindicância para averiguar os fatos.

“Entendemos que o momento é inadequado. Uma concessão de um privilégio é uma coisa que a gente não aceita. Pedi ao chefe da Guarda que transmita isso”, disse o presidente do Seterb, Marcelo Althoff.

O autor de alguns dos vídeos, Alessandro Schaefer, 28 anos, contou que foi alertado por um amigo na tarde de terça-feira, 29, sobre a presença dos agentes da Guarda no posto. Ele foi até o local decidido a registrar a ação com o celular.

“Teve um amigo nosso que estava aqui no posto comprando na conveniência e ele viu que estacionou um carro na bomba de gasolina. Aí eu vim aqui. E de repente começou a surgir um, surgir outro… Em umas duas horinhas que eu estou aqui surgiram uns sete carros. Estava sendo anotado, e não cobrado”, relatou à reportagem.

O que diz o posto

A reportagem tentou contato com a gerência do Posto Mime do bairro Badenfurt. Um funcionário explicou que a empresa não se manifestaria mais sobre o assunto devido à polêmica. Ele afirmou que o objetivo era apenas apoiar as forças de segurança durante a crise de abastecimento.

Segundo o funcionário, o posto abastece regularmente as viaturas da Polícia Rodoviária Federal (PRF), e por isso o combustível foi trazido com escolta. Apesar de não vender gasolina ao público em geral, o posto aceitou abastecer veículos de agentes de forças de segurança para ajudá-los a chegar ao trabalho. Ele garantiu que o combustível foi cobrado.

Veja o vídeo

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio