Termina em impasse nova audiência de conciliação no transporte coletivo de Blumenau

Se não houver acordo em reunião a ser agendada em dezembro, Justiça decidirá o conflito

Termina em impasse nova audiência de conciliação no transporte coletivo de Blumenau

Se não houver acordo em reunião a ser agendada em dezembro, Justiça decidirá o conflito

Redação

Acabou em impasse a tentativa de conciliação desta quarta-feira entre o sindicato dos motoristas e o sindicato das empresas de ônibus de Blumenau. As duas entidades negociam na Justiça do Trabalho os termos da nova convenção coletiva da categoria. Uma nova audiência será agendada em dezembro e, caso não haja consenso, caberá ao Judiciário decidir o conflito.

O desembargador do trabalho Basilone Leite propôs a manutenção das cláusulas da atual convenção, além do reajuste salarial de 2% a 3%. Ele também sugeriu que o acordo não envolvesse questões polêmicas da reforma da CLT.

Leia também: Aumento do IPTU será maior nos bairros mais afastados do Centro

Após mais de três horas de reunião, não houve consenso: os representantes dos trabalhadores rejeitaram a proposta de reajuste salarial de 1,83% feita pelas as empresas, alegando que o valor não cobre a desvalorização do período. Os motoristas também querem cláusulas mais protetivas em relação à possibilidade de terceirização dos trabalhadores.

Os representantes das empresas, por sua vez, alegaram que as cláusulas propostas pelos trabalhadores podem gerar insegurança jurídica e argumentaram que o reajuste de acima da inflação é inviável para as companhias.

Frota mínima

No último dia 15, a categoria realizou duas paralisações e entrou em estado de greve. Acionada pelo sindicato patronal, a Justiça do Trabalho determinou que os trabalhadores mantivessem frota mínima de 70% nos horários de pico e 30% no resto do dia, sob pena de multa diária ao sindicato de R$ 50 mil.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio