Tudo o que você precisa saber sobre o júri de Everton Balbinott, que será nesta quarta-feira

O réu e nove testemunhas, cinco de acusação e quatro de defesa, serão ouvidos em uma sessão aberta ao público

Tudo o que você precisa saber sobre o júri de Everton Balbinott, que será nesta quarta-feira

O réu e nove testemunhas, cinco de acusação e quatro de defesa, serão ouvidos em uma sessão aberta ao público

Bianca Bertoli

Pouco mais de um ano depois de Bianca Wachholz, 29 anos, ser assassinada com um tiro no rosto dentro da casa da mãe dela, no bairro Itoupava Central, o acusado de cometer o crime, Everton Balbinott de Souza, irá a júri popular. O ex-namorado da vítima aguarda o julgamento no Presídio Regional de Blumenau desde julho do ano passado.

Horário e rito da sessão

A sessão está marcada para 9h desta quarta-feira, 23, e será aberta ao público. No Fórum, as nove testemunhas falarão antes do réu. Depois dele será a vez do promotor Odair Tramontin fazer a acusação, seguido do advogado Jeremias Felsky, que fará a defesa de Balbinott. Pode haver réplica e tréplica das partes.

Os sete jurados serão conhecidos pela manhã, após um sorteio entre os 25 convocados. Os nomes não podem ser divulgados, mas tanto promotor quanto defensor têm direito de recusar até três candidatos. Após as definições, é aberto o julgamento.

As respostas dos sete auxiliarão na definição da pena. Balbinott é acusado de homicídio qualificado por motivo torpe, uso de recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio, além de ameaça.

Posição da defesa

O crime de homicídio qualificado tem penas previstas entre 12 e 30 anos de reclusão e a de ameaça entre um e seis meses de detenção ou multa. Felsky não antecipa qual será a tese de defesa que ganhará destaque, mas a equipe tentará retirar o peso das qualificadoras.

“Nós montamos um esqueleto de defesa, mas ele não é rígido. A tese pode mudar dependendo dos depoimentos. Vou decidir tudo na hora”, explicou.

Nos autos, Felsky justifica que Balbinott matou Bianca por “única e exclusiva” culpa dela. O fato deles terem discutido momentos antes do crime e de Bianca supostamente ter menosprezado o ex-namorado teria gerado o que o defensor chama de “legítima defesa da honra”.

Posição da acusação

“É um caso que me chamou muito a atenção pela crueldade. Não tenho palavras para falar das características clássicas de violência contra a mulher. Estamos confiantes e, das três qualificadoras, o feminicídio é o mais importante, até pelos últimos acontecimentos na cidade”, declarou Tramontin.

Na semana passada, outras duas mulheres de Blumenau foram mortas pelos companheiros. Para Tramontin, a condenação de Balbinott tem de servir de exemplo, como forma de combater novas tragédias e conscientizar a população sobre o tema.

Juiz da sessão

Até o fechamento deste texto, o Tribunal de Justiça ainda não havia informado quem será o juiz que coordenará a sessão. Assim que todos tiverem se manifestado, o juiz fará perguntas diretas ao Conselho de Sentença.

Relembre o crime

Após sofrer agressões e ameaças, Bianca tentava terminar o relacionamento com o namorado. Deixou o apartamento em que eles dividiam e foi para a casa dos pais. No dia 25 de julho de 2018, Balbinott pulou o muro da residência, invadiu o imóvel e, diante da mãe da vítima, disparou contra ela. Depois, fugiu, mas se entregou à polícia no dia seguinte, quando foi preso preventivamente.

O ex-namorado teria tirado a vida da artista plástica para que “ela não se envolvesse com mais ninguém”, segundo denúncia do Ministério Público. Pouco menos de duas horas antes de morrer, Bianca relatou a um amigo, em áudio, que o ex-namorado havia anunciado, com uma arma na mão, que a mataria caso eles não reatassem o relacionamento.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo