Vereador de Indaial pede afastamento após ser preso por suspeita de furto

Presidente da Câmara alegou problemas de saúde, porém outros parlamentares já pediam que ele fosse afastado

Vereador de Indaial pede afastamento após ser preso por suspeita de furto

Presidente da Câmara alegou problemas de saúde, porém outros parlamentares já pediam que ele fosse afastado

Redação

O presidente da Câmara de Vereadores de Indaial, Antônio Carlos Fink (PSDB), pediu afastamento do cargo no final da tarde desta quarta-feira, 26. O parlamentar, que foi preso na sexta-feira por suspeita de furto, alegou problemas de saúde.

Ele ficará afastado da casa por 30 dias, passando a presidência para o vice, Flávio Molinari (PSDB). A bancada do MDB de Indaial já havia pedido pelo afastamento de Fink após o escândalo ocorrido na semana passada.

Os pedidos e os documentos recebidos da Delegacia de Polícia de Balneário Camboriú, onde teria ocorrido o crime, serão encaminhados à Corregedoria da Casa para que os próximos passos possam ser tomados. Entretanto, a Câmara ressaltou que o julgamento do ocorrido só poderá ser feito pela justiça.

Nota oficial da Câmara de Vereadores de Indaial

A Mesa Diretora da Câmara de Indaial se reuniu nesta data (26) para análise dos ofícios recebidos da Delegacia de Polícia de Balneário Camboriú e de bancada do MDB de Indaial. 
Diante da solicitação de afastamento do presidente, vereador Antônio Carlos Fink, no final desta tarde, por motivos de saúde, assumiu a presidência interinamente o vereador Flávio Molinari, conforme preceituam a Lei Orgânica e o Regimento Interno da Câmara de Indaial.

A atual Mesa Diretora, por unanimidade, decidiu que os documentos recebidos serão encaminhados à Corregedoria da Casa, para conhecimento e providências que considerar cabíveis.

Por fim, a Câmara lamenta o ocorrido e ressalta que o assunto está tramitando no Poder Judiciário e que compete a este Poder o julgamento dos fatos.

Suspeita de furto

O vereador foi detido na sexta-feira, 21, por suspeita de furto ao supermercado BIG de Balneário Camboriú. Seguranças do estabelecimento detiveram o parlamentar alegando que ele havia saído com produtos sem pagar.

Policiais militares foram ao local, na Avenida Brasil, e encontraram no carro de Fink mercadorias dentro de sacolas do supermercado, sem nota fiscal. Ele foi conduzido à delegacia e liberado em seguida.

Divulgação

A defesa de Fink alega que tudo não passou de um mal-entendido e pediu ao supermercado imagens das câmeras de segurança para esclarecer o acontecido.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo