VÍDEO: Assalto a banco na BR-470 faz reféns e fere policial militar, em Apiúna

Durante a perseguição policial, um PM levou um tiro de raspão na mão e acabou batendo a viatura

VÍDEO: Assalto a banco na BR-470 faz reféns e fere policial militar, em Apiúna

Durante a perseguição policial, um PM levou um tiro de raspão na mão e acabou batendo a viatura

Alice Kienen

Notícia em atualização.

O município de Apiúna está em alerta na tarde desta terça-feira, 17. Um assalto que começou na agência do Bradesco, que fica na BR-470, deixou um policial militar ferido e levou ao menos um refém.

Pessoas fizeram um cordão em frente ao banco durante o assalto. Os criminosos carregavam armas de alto calibre. De acordo com moradores, os tiros puderam ser ouvidos a metros de distância.

A Polícia Militar de Indaial, que foi acionada para dar suporte, explicou que o PM levou um tiro de raspão na mão. O ferimento não foi grave, porém fez com que ele colidisse a viatura que conduzia contra um poste. O veículo recebeu vários tiros dos bandidos.

Ao menos um homem foi levado como refém no capô de um veículo. Moradores afirmam que ele já foi liberado, porém a informação não foi confirmada pela polícia. O carro que o levou foi encontrado pegando fogo na BR-470.

Testemunhas afirmam que os bandidos fugiram em direção à Rio do Sul, no Alto Vale do Itajaí. Os policiais continuam na busca nas regiões e logo devem repassar mais informações. O helicóptero Águia, da Polícia Militar, também foi acionado.

Tiros quebraram vidraça de posto de gasolina. Foto: Divulgação

Um dos suspeitos foi preso nesta terça-feira, 17, na BR-470, ainda em Apiúna, conduzindo um veículo Saveiro. Os demais ainda não foram localizados.

Novo cangaço

Assaltos a banco se tornaram cada vez mais comuns na região. No dia 4 de dezembro, moradores de Vidal Ramos viveram horas de horror após um assalto a duas agências. Em Blumenau, na Itoupava Central, o Bradesco também foi cenário de um dos assaltos que mais assustou a cidade.

Meses antes, foi o Aeroporto Quero-Quero que registrou diversos tiros e até mesmo uma vítima fatal. Em todos os casos, a ação criminosa foi muito forte. A modalidade, conhecida como “novo cangaço”, vem assustando catarinenses.

Entretanto, de acordo com o delegado Anselmo Cruz, responsável pela Diretoria Estadual de Investigação Criminal (DEIC), Santa Catarina ainda possui um cenário favorável em comparação ao restante do país.

*Notícia atualizada às 6h53 de 18/12 – acrescentada a informação sobre a prisão

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo