Alagamentos na área do futuro Terminal Oeste preocupam moradores do Água Verde

Vídeo de sexta-feira passada mostra água do ribeirão invadindo terreno

Alagamentos na área do futuro Terminal Oeste preocupam moradores do Água Verde

Vídeo de sexta-feira passada mostra água do ribeirão invadindo terreno

Bianca Bertoli

No terreno ao lado da casa de Vivien e Ivens Alcântara os pássaros não cantam mais. A única árvore sobrevivente é a enorme figueira de quase 40 anos, plantada pelo avô de Vivien, que em breve dividirá espaço com o Terminal Integrado Oeste, no Água Verde.

Em frente à casa, apontando para fotos sobre a mesa da lavação de carros que gerencia há 11 anos, Alcântara mostra a água que transborda do ribeirão toda vez que uma chuva forte cai. Em dias de enxurrada, a rótula do Leite Trevo, onde ocorre o encontro das ruas General Osório e Guilherme Poerner, fica intransitável.

A chuva do dia 13, sexta-feira passada, foi o suficiente para transformar a obra do terminal, vizinha ao trevo, em uma enorme piscina. Vivien gravou um vídeo e postou no Facebook, gerando mais de oito mil visualizações. Nas imagens é difícil distinguir o que é ribeirão e o que é obra alagada.

“Qualquer coisa em cima desse terreno é inviável. Por que o prefeito constrói obras públicas onde pega enchente?”, indigna-se Alcântara.

Régis Evaloir da Silva, secretário municipal de Infraestrutura Urbana, diz que o problema de drenagem no local é histórico. Porém, ainda não se definiu que tipo de solução será adotada para evitar mais transtornos depois do terminal ficar pronto.

“Não queremos colocar em risco uma obra desse tamanho. Essa situação é uma constante e vamos decidir, provavelmente nos próximos 15 dias, como resolver”.

Existe a possibilidade de mudar a direção do ribeirão, retirando a curva natural. Segundo o secretário, a previsão é que o terminal fique pronto até novembro do ano que vem. A obra começou em setembro e desde então máquinas têm feito a terraplanagem do local.

Bianca Bertoli

Sobre o terminal

O projeto prevê uma área total construída de 4.280 metros quadrados, sendo 2.080 de cobertura. Haverá ciclovia, área de lazer com parque para crianças, pista de caminhada com cerca de 245 metros de extensão, quadra poliesportiva, quadra de areia e cancha de bocha.

A construção tem como principais objetivos a integração das linhas da região Oeste, o atendimento à crescente demanda de transporte público e a diminuição nos volumes de tráfego nas vias servidas pelas linhas de ônibus.

Bianca Bertoli
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio