+

Conheça o marceneiro de Blumenau que, mostrando seu trabalho, tem mais de 340 mil seguidores nas redes sociais

Bernardo conta como mudou de vida ao procurar fazer o que realmente gosta

O blumenauense Bernardo Costa, de 36 anos, mais conhecido como “Marido Marceneiro” no Tiktok, já conta com mais de 110 mil seguidores no seu perfil na plataforma. No Instagram, o profissional acumula 230 mil seguidores. Ao total são mais de 340 mil fãs na internet.

Conhecido por fazer móveis de marcenaria pouco comuns, o catarinense vem conquistando novos seguidores a cada móvel feito. Além da mobília, ele também interage com os seguidores e procura mostrar seu conteúdo de forma criativa, mas informativa.

O “Meu Marido Marceneiro” é uma empresa de duas pessoas. Além de Bernardo, Ana (sua esposa) trabalha na parte digital e é uma base importante do sucesso do profissional.

Arquivo pessoal

Entre pinturas e dívidas

Antes de virar marceneiro, Bernardo tinha uma empresa de pintura industrial. Na época, trabalhava com empreendimentos como shoppings e galpões industriais.

“Era um negócio de família com know-how técnico de mais de 40 anos no mercado. Porém, com a crise econômica de 2015, as coisas não estavam indo bem. O trabalho estava cada vez mais escasso, as dívidas se acumulando. Isso tudo aliado a minha insatisfação profissional me fizeram parar tudo e recomeçar do zero, me reinventar”, disse o profissional.

Bernardo alega que, na época, tudo foi um grande desafio. Ele assumiu a empresa de pintura depois da morte do pai em 2009, mas diz ter assumido apenas pelo fato de que o negócio estava pronto, não porque queria trabalhar no ramo.

Mudanças

Em 2015, quando as coisas não iam bem, o profissional se viu cada vez mais estressado e chegou a parar no hospital por isso. Depois desse episódio, começou a brincar com madeira para ter uma ocupação e acabou gostando da função.

“Percebi que aquilo me fazia um bem danado. Comecei então a pesquisar quais as ferramentas certas eu precisava comprar para lidar com madeira, porém, descobri que o investimento era alto e acabei engavetando a ideia”, relembra.

Na mesma época em que decidiu colocar a ideia embaixo do tapete, Bernardo estava executando uma obra grande na cidade de Jaraguá do Sul. Porém, no final da obra, o contratante deu um “calote na praça” e usou o cenário econômico da época como justificativa. 

“Minha parte era a menor de todas, mas mesmo assim era muito dinheiro de desfalque para uma empresa pequena como a minha. Nossa situação financeira ficou muito pior do que já estava. Porém, depois de meses tentando receber sem sucesso, tínhamos duas opções: protestar as notas (o que nos levaria a uma briga judicial que se arrastaria por anos) ou fazer uma permuta, já que o contratante tinha também uma rede de lojas de máquinas e ferramentas”, disse Bernardo.

O valor era considerável e, com o aval da esposa, o profissional decidiu pegar todo o valor em ferramentas necessárias para começar a trabalhar com madeira. Bernardo então lotou o baú de um caminhão com máquinas e ferramentas novas e de marcas de prestígio no mercado.

Marcenaria

Ao chegar em casa com todas as máquinas Bernardo decidiu recorrer ao Youtube para aprender marcenaria, visto que não tinha experiência no ramo. Por quatro meses absorveu tudo que a internet poderia lhe proporcionar de forma gratuita.

“Comecei fazendo algumas peças para minha casa, familiares e depois para amigos. Tudo de graça, afinal, eu ainda estava aprendendo e ainda tinha a empresa de pintura que pagava minhas contas”, recorda.

Em um dia, um amigo sugeriu que Bernardo empreendesse na marcenaria, visto que o profissional estava mostrando um potencial interessante. Porém, ainda inseguro, Bernardo refutou a ideia, mas aceitou a dica de divulgar os trabalhos nas redes sociais.

“Essa ideia eu comprei e pedi ajuda para minha esposa que já trabalha com mídias sociais e criamos um perfil no Instagram. O nome (Meu Marido Marceneiro) surgiu espontaneamente. Na falta de uma ideia melhor, minha mulher disse que ia botar esse e que depois pensaríamos em um melhor, porém o nome pegou e não mudamos mais”, conta o marceneiro.

Sucesso

O blumenauense diz que a partir daí a coisa foi crescendo exponencialmente. Com o sucesso, alega que sentiu a necessidade e obrigação de começar a cobrar pelo trabalho que estava fazendo.

“Quando percebi que a marcenaria já pagava as contas e a pintura só dava prejuízo, decidimos encerrar as atividades da empresa de pintura para me dedicar exclusivamente à nova profissão”, comentou.

Com a nova ideia sendo colocada em prática, a esposa de Bernardo ficou encarregada de cuidar das redes sociais e ele da produção dos móveis. Dessa maneira, o perfil cresceu e atingia a cada dia, um público maior. 

“Sem querer me tornar influenciador e hoje vendo os móveis que faço para várias regiões do país”, afirma.

Futuro

Questionado sobre o futuro, Bernardo afirma que o objetivo é tentar cada vez mais se aproximar de um perfil de influenciador digital, buscando se tornar referência na marcenaria criativa. 

“O Instagram é o nosso principal canal de venda. É por lá que apresentamos e vendemos nossos produtos. O engajamento do público é incrível e recebemos dezenas de mensagens todos os dias de pessoas que simplesmente amam nosso trabalho. Sinto que o negócio nasceu pra internet, portanto, não sei como seria sem ela”, concluiu.

Arquivo pessoal

Receba notícias direto no celular entrando nos grupos de O Município Blumenau. Clique na opção preferida:

WhatsApp | Telegram


• Aproveite e inscreva-se no canal do YouTube

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo