+

Dive confirma que morte de macaco em Indaial foi por febre amarela

Essa é a terceira morte registrada neste ano por este motivo

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive) confirmou o registro da terceira morte de macaco por febre amarela no estado. O animal morreu em Indaial no dia 31 de maio.

A Dive reforça que os macacos não transmitem a febre amarela:

“Eles são vítimas da doença e sinalizam a circulação do vírus na região. Por isso, ao encontrar um macaco doente ou morto, a Secretaria Municipal de Saúde  deve ser comunicada imediatamente”, afirma Renata Gatti, bióloga da Dive.

Conforme orientação do programa de Vigilância da Febre Amarela, a partir do local onde ocorreu o óbito, será aberto um raio de 300 metros para a realização de busca ativa de pessoas não vacinadas contra a doença e outras evidências de morte de macacos no entorno.

A vacinação casa a casa em Indaial já deve começar nesse final de semana. Até o momento, a cobertura vacinal contra febre amarela no município está em 55,75%.

“Precisamos que aquelas pessoas que ainda não se imunizaram contra a febre amarela, procurem um posto de saúde o quanto antes para receber a dose. Essa é a melhor forma de prevenirmos a doença”, explica Lia Quaresma, gerente de imunização da Dive.

Vacinação

A Secretaria de Promoção da Saúde de Blumenau segue vacinando a população contra a febre amarela, e possui atualmente cerca de três mil doses em estoque na Vigilância Epidemiológica, além daquelas já distribuídas nas salas de vacina do município. Em 2019, mais de 75 mil doses da imunização já foram aplicadas no município. No ano passado inteiro, 53.411 pessoas foram vacinadas.

Atualmente 36 salas de vacinação estão em funcionamento no município, em AGs e ESFs. A vacinação que protege da febre amarela é indicada em dose única para crianças de 9 meses a pessoas de 59 anos. Adultos acima de 60 anos, gestantes e pacientes imunossuprimidos deverão apresentar prescrição médica para receber a vacina. Há contraindicação também para alérgicos à proteína do ovo.

Desde setembro do ano passado, a prefeitura de Blumenau intensificou as ações de vacinação contra a febre amarela para evitar que a doença chegue à cidade. Além da vacinação da população das áreas rurais, de fevereiro a abril desse ano foi ampliado o funcionamento da vacinação nos Ambulatórios Gerais (AGs), para que a comunidade tivesse mais opções de horário.

Também foi realizado um sábado destinado à imunização, onde mais de duas mil pessoas se vacinaram. A vacina da febre amarela é disponibilizada durante todo o ano e é importante ter em mãos a carteira de vacinação quando da aplicação.

Os sintomas da febre amarela costumam ser similares aos de uma gripe, como febre, dor de cabeça, náusea e dores no corpo. A doença pode evoluir para formas graves e até levar a morte. A vacina ainda é a principal ferramenta de prevenção e controle da febre amarela.

Febre amarela em SC

No dia 28 de março de 2019, Santa Catarina já havia confirmado o primeiro caso de febre amarela autóctone (contraída dentro do estado) em humano, com morte. O paciente era um homem, de 36 anos, que não havia se vacinado. Ele morava em Joinville, no Norte do Estado.

No começo de abril, a Dive também confirmou a primeira morte de macaco por febre amarela no estado. O macaco (bugio) foi encontrado morto no dia 20 de março em uma área de mata no município de Garuva, no Norte do estado. Já o registro do segundo macaco morto pela doença aconteceu em junho, em Pirabeiraba, em Joinville.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo