Homem que filmou estupro em Gaspar será investigado por omissão de socorro

Crime previsto na lei brasileira prevê de seis meses a um ano de prisão

Homem que filmou estupro em Gaspar será investigado por omissão de socorro

Crime previsto na lei brasileira prevê de seis meses a um ano de prisão

Redação

O homem que gravou com o telefone celular o momento em que um estuprador atacou uma mulher, em Gaspar, será investigado por omissão de socorro. O crime foi no dia 15 de março. O suspeito de cometer a violência sexual foi identificado e levado à delegacia de Gaspar nesta terça-feira.

Curta O Município Blumenau no Facebook.

Siga O Município Blumenau no Instagram.

Receba notícias pelo Whatsapp.

Segundo o delegado Bruno Effori, responsável pela investigação, o autor do vídeo será investigado porque não tentou impedir a violência.

“De acordo com as imagens, ele tinha condições de impedir a prática do crime. Seja intervindo diretamente, seja acionando algum órgão policial. Ele não responde pelo crime de estupro, até porque ele não tinha esse dever de impedir o resultado, mas ele tinha condições de prestar o socorro à vítima”, avaliou Effori.

Segundo o delegado, o mesmo inquérito que investiga o estupro em si tratará da omissão de socorro, crime que pode levar a uma pena de seis meses a um ano de prisão, podendo ser elevada a 18 meses de prisão devido à gravidade das lesões da vítima.

Antecedentes

O homem identificado como autor do estupro é Jonas Pereira, 50 anos. Segundo Effori, ele tem antecedentes por crimes de estupro em Ilhota, em 2006, e Blumenau, em 2013. Em Ilhota, a vítima foi uma menina de nove anos.

Em entrevista à Rádio Menina, na manhã desta terça, Pereira afirmou que a vítima teria consentido a relação no meio da rua. Os dois estariam bebendo cachaça. Ele afirmou não ter percebido que a mulher havia perdido a consciência.

A vítima foi localizada, mas ainda não foi ouvida. Segundo Effori, o crime pode ser enquadrado como estupro de vulnerável, uma vez que a mulher estaria sem condições de se defender.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo