+

Mulher sofre racismo em ônibus de Blumenau e afirma que funcionários não intervieram; saiba o que diz a prefeitura

Caso aconteceu no começo de fevereiro

Uma moradora de Blumenau, que preferiu não se identificar, registrou um Boletim de Ocorrência após sofrer crime de racismo enquanto voltava para casa de ônibus, após sair do trabalho. O caso aconteceu no começo de fevereiro e ela afirmou que ninguém prestou auxílio na situação, nem mesmo o cobrador ou o motorista.

Em conversa com o jornal O Município Blumenau, a mulher contou que havia saído do trabalho e pego o ônibus por volta das 13h45; como estava cheio, ela seguiu em pé, até chegar no Terminal da Proeb, onde pessoas saíram do veículo, e lugares acabaram vagando. 

Segundo a trabalhadora, como estava cansada, aproveitou e se sentou. Contudo, isso acabou gerando a situação de racismo.

“O banco não era dos preferenciais, que inclusive já estavam ocupados, o banco era um dos comuns. Então, uma mulher subiu no ônibus, e começou a brigar, dizendo que eu não deveria estar sentada e sim dar o lugar para pessoas como ela. Mesmo eu tendo dito que ela não poderia falar comigo daquela forma, ela continuou me xingando e gritando comigo, e chegou até me ameaçar”. 

A mulher ainda afirma que ficou nervosa com a situação, mas respondeu que não iria levantar, já que estava sentada no lugar correto. 

Mesmo com a situação da briga, a trabalhadora afirma que nem o motorista e nem o cobrador da Blumob, se disponibilizaram para ajudar durante a situação, apenas ficaram observando. Ela ainda conta que mais um homem, enquanto estava descendo no ônibus, também fez ameaças racistas. 

Nessa hora, outra passageira se revoltou e gritou que a situação toda era racista, mas mesmo assim, segundo a moradora de Blumenau, ninguém agiu na situação. 

“A outra passageira ainda falou que eu estava pagando o ônibus igual todo mundo e tinha o direito de estar sentada, mas mesmo assim, a situação continuou. Tenho muito orgulho da minha cor, da minha pele, não queria ter passado por isso. Vim da Bahia em busca de trabalho, para buscar minha dignidade. Estou trabalhando, fazendo as minhas coisas, não quero deixar ninguém tirar isso de mim. Passar por essa situação, foi muito constrangedor, muito mesmo”, finalizou.

O que dizem a prefeitura e a Blumob 

Em nota, a Prefeitura de Blumenau informou que não foi notificada sobre o caso, mas que repudia todo e qualquer ato de preconceito. Confira a nota completa:

“A Prefeitura de Blumenau, por meio da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), informa que não recebeu nenhuma informação a respeito de relatos de racismo no transporte coletivo. A SMTT orienta que, nestes casos, o usuário faça um boletim de ocorrência e traga o maior número de informações possíveis, como dia e horário e número da linha, para que as devidas providências possam ser tomadas.

A Prefeitura reforça também que repudia todo e qualquer ato de preconceito e procura sempre orientar para que isso não ocorra em nenhum local de atendimento ao cidadão”.

Em conversa com a Blumob, o órgão notificou que não irá se pronunciar sobre o caso.


Veja agora mesmo!

Gestores e possível técnico do Metrô falam sobre desafio do ano:

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo