Nime

Semanalmente, o Núcleo de Informações sobre Medicamentos (Nime), uma proposta de extensão da Furb, publica conteúdos e estudos sobre saúde no portal.

Conheça as opções mais promissoras de vacinas para Covid-19

Por Milena Paim de Bem, Carlos Luiz de Almeida Junior e professor Luiz Henrique Costa

  • NimePor Nime
  • 21/08/2020
  • 20:28
Nime

Semanalmente, o Núcleo de Informações sobre Medicamentos (Nime), uma proposta de extensão da Furb, publica conteúdos e estudos sobre saúde no portal.

Conheça as opções mais promissoras de vacinas para Covid-19

Por Milena Paim de Bem, Carlos Luiz de Almeida Junior e professor Luiz Henrique Costa

Nime
  • Por Nime
  • 21/08/2020
  • 20:28
  • +A-A

No dia 2 de junho apresentamos resumidamente  como é o processo de desenvolvimento de um novo fármaco e qual a perspectiva de acesso do nosso país a uma suposta vacina da Covid-19. Após duas semanas já se fala sobre opções em fases mais avançadas nos testes, portanto é o que abordaremos nesta publicação

O Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fundação Oswaldo Cruz (Bio-Manguinhos/Fiocruz), localizada em Ribeirão Preto/SP, em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) trabalha no desenvolvimento de duas vacinas, uma sintética que está em fase pré-clínica (testes in vivo), mas que só deve chegar ao mercado após 2022, e outra, que tem uma abordagem diferente, mas ainda está em fase preliminar de estudo e deve demorar mais para ser disponibilizada.

A farmacêutica norte-americana Pfizer em parceria com a empresa alemã de biotecnologia BioNTech, possui 4 opções de vacinas em estudo, todas em fase Clínica (teste em humanos). Mikael Dolsten, o presidente mundial de pesquisa, desenvolvimento e medicina da Pfizer afirma que se tudo ocorrer bem em outubro de 2020 já poderá disponibilizar a vacina para milhares de pessoas e para milhões até 2021, conforme entrevista realizada pela revista Veja.

A universidade britânica de Oxford também já possui um protótipo em fase Clínica e tem pacientes brasileiros como voluntários, sendo uma parceria com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), a Rede D’Or São Luiz e o Instituto D’Or (Idor) no Rio de Janeiro.

Por último, o governo do estado de São Paulo anunciou a produção de uma vacina por meio da parceria entre a empresa chinesa Sinovac e o Instituto Butantan, que também contará com voluntários brasileiros.


Quer receber notícias diretamente no seu celular? Clique aqui e entre no grupo de WhatsApp do jornal

Prefere ficar bem informado pelo Telegram? O jornal tem um canal de notícias lá. Clique aqui para participar

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo