Nove perguntas e respostas para entender o Simulado de Desastres de Blumenau

Ação envolve quase mil pessoas e dezenas de veículos e aeronaves

Nove perguntas e respostas para entender o Simulado de Desastres de Blumenau

Ação envolve quase mil pessoas e dezenas de veículos e aeronaves

Redação

Por Renata Westphal

A movimentação de um grande números de oficias do Exército, Corpo de Bombeiros e policiais vem chamando a atenção dos blumenauenses nos últimos dias. A cidade está lotada de caminhões, carros e aeronaves oficiais para a prática de um simulado de desastre na região do Vale do Itajaí.

A programação do simulado coloca em atividade e testa na prática o Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres de Santa Catarina (Cigerd), em Florianópolis, que  será inaugurado na capital nesta sexta-feira, 18. No mesmo dia, a Defesa Civil de Santa Catarina completa 45 anos.

O Município Blumenau elencou dúvidas comuns que surgiram nos últimos dias e procurou respostas para ajudar o blumenauense a compreender o que está havendo na cidade. Confira:

1 – O que é o Simulado Integrado de Resposta a Desastres?
O simulado é uma prática integrada da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Exército para treinamento de uma situação de crise na região. Há operações simuladas em Pomerode, Blumenau, Gaspar e Itajaí, que consideram a hipótese do nível do rio Itajaí-Açu estar acima de 15 metros. O principal objetivo é capacitar e integrar profissionais das diferentes esferas de governo.

2 – Quem comanda a simulação?
As atividades integradas são comandadas pela equipe da Defesa Civil de Santa Catarina, que pretende treinar, principalmente, a comunicação e o trabalho em conjunto das entidades envolvidas.

3 – Quantos oficiais e equipamentos participam do simulado?
Ao todo são mil pessoas treinando na região. Cerca de 150 bombeiros, 135 policiais, 60 agentes da Defesa Civil e aproximadamente 600 oficiais do Exército. São três aeronaves à disposição do simulado, além das guarnições de cavalaria, patrulhamento de choque, e equipes com cães resgate.

4 – Por que a região de Blumenau foi escolhida?
Porque é extremamente vulnerável a esee tipo de problema. É a maior bacia hidrográfica interna de Santa Catarina e possui a maior concentração populacional. Foram escolhidos quatro municípios, justamente para o simulado ter uma proporção a ponto do Exército realmente poder participar da ação, mas também não gerar um custo além do esperado pelo governo.

5 – Todas as operações acontecem em conjunto?
Não. A Defesa Civil comanda as atividades, mas cada organização tem uma programação específica para treinar seus profissionais em atividades internas que também estão sendo feitas durante esta semana.

6 – Onde os oficiais estão concentrados?
Bombeiros, policiais, agentes da Defesa Civil e oficiais do Exército estão concentrados no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cigerd), localizado no complexo do Sesi, em Blumenau. O Exército montou algumas estruturas de barracas, ônibus dos bombeiros e da PM também estão no local. Na praça Johan Peter Wagner, em frente ao Sesi, também há barracas montadas.

7 – A população está participando do simulado?
Não, desta vez o objetivo é treinar as forças de segurança. A comunidade não está diretamente envolvida nas ações.

8 – O simulado vai ocorrer periodicamente?
Esse é o primeiro simulado deste porte que acontece em Santa Catarina. A Secretaria Estadual de Defesa Civil está projetando um novo simulado para novembro deste ano. Ele ocorreria nos dias 22 e 23, quando a tragédia de 2008 completa 10 anos. Diferente do simulado que está acontecendo nesta semana, o projeto para o final do ano é que seja uma simulação com o envolvimento da comunidade. Haveria treinamento de evacuações e reuniões comunitárias. O secretário-adjunto de Defesa Civil, Fabiano de Souza, afirma que, além de Blumenau, o município de Ilhota, que teve o maio número de óbitos em 2008, também deve participar.

9 – Quais atividades ocorrem em cada cidade?

Blumenau:
-Transposição de curso de água com bote com bombeiros e Exército, na Prainha.
-Resgate de civis com bombeiros, policiais militares, Exército e SAMU no final da Rua Hermann Tribess, no bairro Fortaleza, na quarta-feira, 16, as 14h.
– Resgate de civis e transposição de via inundada com bote com Exército, SAMU e PM na Prainha, quinta-feira, 17, as 11h.

Pomerode:
– Resgate de civis com aviação em terreno baldio em frente a Rua Dr Blumenau, com Rua Gaspar, na terça-feira, 15, as 16h.
– Resgate de civis com apoio de passadeira e iluminação artificial, na Ponte da Rua Arthur Reinert, terça-feira, 15, as 22h.
– Resgate de civis, desobstrução de vias e apoio médico no Parque Cascata Cristalina na quarta-feira, 16 as 9h.
– Resgate de civis com aeronave no Sítio – Estrada Carolina, na quarta-feira, 16, as 15h30min
-Transposição de curso de água e realização de um parto na Rua Artur Reinert, na quarta-feira, 16, as 20h.
– Resgate de civis com passadeira na Rua dos Atiradores, quinta-feira, 17, as 8h30min

Gaspar
– Resgate e salvamento com uso de portada na Rua Bruno Celso Zimmermann, Bela Vista, quarta-feira, 16, as 16h.
-Resgate e transporte de ferido com emprego de portada na Rua Bruno Celso Zimmermann, Bela Vista na quinta, 17, as 19h.

Itajaí
– Transporte de Feridos, resgate de civis e Garantia de Lei e Ordem, na Rua Ivo Atanásio Veiga, quarta-feira, 16 as 9h.
– Transporte de corpos e Feridos BR-101, no cruzamento com a Av Gov Adolfo Konder, na quarta-feira, 16 as 14h.
-Resgate de Civis na Rua Otaviano Feler, N 2, Bairro São Vicente, quinta-feira, 16, as 17h.
– Busca de desaparecidos com equipes e cães farejadores no bairro Fazenda, quarta-feira,16, as 20h

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio