OAB de Blumenau divulga nota de repúdio após advogado ser flagrado fazendo ofensas racistas

Caso foi registrado nesse domingo

OAB de Blumenau divulga nota de repúdio após advogado ser flagrado fazendo ofensas racistas

Caso foi registrado nesse domingo

Iáscara Zultanski

A Ordem dos Advogados do Brasil – Subseção de Blumenau, por meio da sua Diretoria e da Comissão de Direitos Humanos, divulgou uma nota de repúdio após o advogado Luiz Henrique Eltermann Viotti, de 31 anos, ser suspeito de ter falas racistas durante a 38º Oktoberfest

Luiz chegou a ser preso e encaminhado à Polícia Civil, mas após custodia, conquistou liberdade provisoria.  Em nota, a OAB de Blumenau repudiou a ação e afirmou que o ato foi inaceitável. Além disso, atualizou de que a entidade ainda não foi notificada, mas acompanhará de perto o desenrolar das investigações.

Confira a nota completa:

Nota de Repúdio

A Ordem dos Advogados do Brasil – Subseção de Blumenau, por meio da sua Diretoria e da Comissão de Direitos Humanos, diante dos fatos noticiados pela imprensa envolvendo um advogado da cidade, na madrugada de domingo durante a Oktoberfest, reitera que repudia todo e qualquer ato de racismo ou injúria racial.

Tais atos são inaceitáveis e contrários aos valores da igualdade, justiça e respeito que defendemos como instituição. Estamos comprometidos em acompanhar de perto o desenrolar das investigações sobre esse incidente. Até o momento, a entidade não foi oficialmente comunicada em relação ao ocorrido.

Reforçamos nosso compromisso com a promoção de uma sociedade justa, igualitária e sem preconceitos, e continuaremos a trabalhar para que a advocacia seja um exemplo de respeito aos direitos humanos.

Blumenau, 30 de outubro de 2023

Rodrigo Eduardo Soethe, presidente 
Patrícia Ribas Athanázio Hruschka, vice-presidente 
Adriane Gratsch Thiem, secretária geral
Everton Freygang, secretário adjunto
Harry Ern Jr., tesoureiro
Lenice Klener, presidente da Comissão de Direitos Humanos

Crime de racismo 

O possível episódio de racismo que ocorreu na Oktoberfest Blumenau na madrugada de domingo, 29, foi melhor esclarecido e a reportagem do jornal O Município Blumenau teve acesso exclusivo a imagens da situação.

O fato ocorreu por volta das 3h do domingo. De acordo com o boletim de ocorrência e depoimento da vítima, que trabalhou como segurança da festa, o episódio aconteceu após ele ter que cessar uma briga que ocorria entre os pavilhões 1 e 2. Luiz, que estava envolvido nesta briga, foi separado e removido do evento.

Ainda de acordo com o relato da vítima à Polícia Civil, o advogado passou a proferir xingamentos racistas, como “preto filho da p…” e “preto vagabundo”, além de tentar mostrar autoridade dizendo frases como “você não sabe com quem está falando”.

Ainda de acordo com as imagens é possível notar que, quando ele recebe a informação de que responderá pelos atos racistas, ele afirma ser advogado e também ser de “família grande”.

Após audiência de custódia na tarde deste domingo, 29, Luiz foi colocado em liberdade provisória. De acordo com o processo, ele não chegou a ser algemado.

Para a juíza de plantão, o advogado afirma ter sido vítima de agressão durante a prisão. Ele diz não saber se os ferimentos foram feitos pela segurança da festa ou pela Polícia Militar, mas que estaria com marcas no pescoço e que teria sido “praticamente asfixiado”.

A juíza de plantão Horacy Benta de Souza Baby determinou que não há prova da materialidade e indícios suficientes para que Luiz ficasse preso preventivamente. Ele também não teria histórico de crime de racismo anterior a esse caso. Porém, como se trata de um crime inafiançável, ele precisará cumprir medidas cautelares.

Saiba mais sobre o caso: EXCLUSIVO – “Preto filho da…; minha família é grande!”; câmera flagra como ocorreu racismo na Oktoberfest Blumenau; 


Veja agora mesmo!

Clube de Caça e Tiro Itoupava Rega mantém tradições perdidas na região:

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo