Prefeitura de Blumenau vai abrir boletim de ocorrência e apagar faixa de pedestres improvisada

Moradores dizem que faltam calçadas e travessias na rua Silvano Cândido da Silva

Prefeitura de Blumenau vai abrir boletim de ocorrência e apagar faixa de pedestres improvisada

Moradores dizem que faltam calçadas e travessias na rua Silvano Cândido da Silva

Julia Schaefer

O diretor de Planejamento Viário da prefeitura de Blumenau, Julian Plautz, disse que o município vai abrir um boletim de ocorrência para denunciar a pintura de uma faixa de pedestres improvisada, na Ponta Aguda. Conforme Plautz, a pessoa que fez o desenho cometeu ilegalidade e gerou uma situação de ainda maior risco para os pedestres. O autor, ou autores, não ainda foi identificado.

“Reinvidicação é alguém se manifestar por ofício, e mail… O que foi feito ali foi uma pintura na via, ilegal. Vamos abrir um boletim de ocorrência. Não entendo isso como reivindicação de faixa de pedestre, existem os meios adequados de você reivindicar os pedidos”, critica.

Para solucionar o problema, a prefeitura poderá estudar um local adequado, que não gere riscos ao pedestre e motoristas. A faixa desenhada será apagada por estar fora do padrão e representar ainda mais risco para a população. Depois disso uma melhoria no local será avaliada.

A faixa improvisada surgiu na semana passada na rua Silvano Cândido da Silva e gerou repercussão na cidade. O desenho, uma atitude ilegal conforme o Código de Trânsito Brasileiro, trouxe à tona a falta de segurança no local para pedestres. Sem calçadas e com carros em alta velocidade, a sensação é de perigo constante

“Eu sou uma pessoa que não vai a pé nem até a padaria. Eu estava tentando levar e buscar meu filho à escola, que fica a 15 minutos de caminhada, mas não consigo andar com o carrinho de bebê pela falta de calçadas, e também não tenho segurança para atravessar”, lamenta Angelis Lopes.

Lopes concorda que o local onde a faixa de segurança foi pintada não é o mais apropriado, por estar em cima de uma curva, mas deseja que o município tome uma providência definitiva no local.

Rejane Oliveira tem dois filhos, um de 9 e outro de 14 anos. Ela relata que os filhos vão para a escola caminhando e que mais de uma vez já escaparam de ser atropelados.

“Precisávamos muito de uma faixa de pedestres para que pelo menos as crianças possam atravessar em segurança”, diz.

A falta de calçadas é um problema que, de acordo com Julian Plautz, Diretor de Planejamento Viário da prefeitura, é de responsabilidade dos proprietários dos imóveis da região. Plautz diz que este problema, inclusive, é um dos motivos para a não viabilidade da instalação de uma faixa de pedestres no local escolhido por quem improvisou aquela.

“Primeiro, que é uma curva. Não posso colocar uma faixa de pedestre porque pode apresentar riscos. Segundo, que não tem calçadas em nenhum dos dois lados da rua. E terceiro é a demanda. Normalmente nós instalamos faixas de pedestre perto de escolas, comércio, entre outros”, argumenta.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio