Problemas com fornecedores geram falta de medicamentos em Blumenau

Dos 179 disponibilizados pela prefeitura, 23 estão em falta

Problemas com fornecedores geram falta de medicamentos em Blumenau

Dos 179 disponibilizados pela prefeitura, 23 estão em falta

Bianca Bertoli

Remédios como Nimesulida, Tramadol, Paracetamol e Tamiflu estão em falta nas farmácias do município. São 23 itens que combatem, entre outros problemas, inflamações, gripe, hipertensão, distúrbios endócrinos e que previnem diabetes. A ausência equivale a 13% do total de medicamentos existentes no município.

O diretor de Assistência em Saúde Adriel Rowe explica que a prefeitura abastece o estoque com compras diretas ou em parceria com outras cidades. Em alguns casos, a aquisição não foi possível por não haver empresas interessadas na licitação, por falta da matéria-prima para produção do remédio ou por atraso na entrega. Nesse último caso, os fornecedores já foram notificados.

Ainda não há previsão para entrega de todos os itens, mas Rowe garante que a reposição vai ocorrendo ao longo dos dias, assim como surgem novas medicações faltantes. É um ciclo que se repete e, com a greve dos servidores, as informações sobre o estoque dos Ambulatórios Gerais e postos de saúde podem não ser exatas. Com alguns funcionários paralisados, o sistema não é alimentado.

“Por isso a melhor maneira de ter certeza se vai encontrar o medicamento ou não na unidade de referência é ligar e perguntar. Melhor que correr o risco de chegar e não ter”, alerta Rowe.

Estoque zerado

Confira abaixo quais remédios estão em falta (a lista é atualizada toda semana):

Prefeitura de Blumenau/Divulgação

Farmácia solidária

A coordenadora da Política de Assistência Farmacêutica, Lucineia Vendramini, complementa: há a possibilidade de encontrar remédios substitutos na Farmácia Solidária, que fica na rua Dois de Setembro, no Centro de Saúde Rosania Machado Pereira.

Ali, de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h, qualquer pessoa com uma receita médica (do SUS ou não) pode procurar medicamento. Se ele estiver disponível, é entregue gratuitamente. O local não possui remédios controlados e psicotrópicos (com substâncias químicas que agem principalmente no sistema nervoso central).

O órgão recebe doações de clínicas de saúde, médicos, distribuidoras de medicamentos, laboratórios ou de outros municípios. O material passa por uma triagem da equipe, antes de ser disponibilizado para consumo. Normalmente, segundo Lucineia, há medicamentos mais novos e mais caros que os encontrados nas unidades de saúde.

A Farmácia Solidária também recebe medicamentos vencidos ou em desuso. Eles são descartados corretamente, através de uma empresa especializada, que é contratada pela prefeitura.

Além da Farmácia Solidária e da Farmácia de Alto Custo, Blumenau conta com 60 farmácias nas unidades de saúde.

Correção

Até as 16h55 desta terça-feira, 18, o texto informava que a Farmácia Solidária não entrega medicamentos padronizados, ou seja, aqueles já distribuídos pelo SUS. Porém, pode acontecer de ela ter esses remédios e disponibilizá-los, mas o usuário precisa primeiro se dirigir a uma das farmácias das unidades básicas de saúde. 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo