+

Viagem de Hildebrandt à Espanha abriria vácuo de poder na prefeitura de Blumenau

Três vereadores na linha sucessória não poderiam assumir o cargo porque pretendem disputar as eleições

Colaborou Julia Schaefer

O prefeito de Blumenau, Mário Hildebrandt (PSB), foi selecionado para participar de um curso de cinco dias na Espanha no mês de junho. Porém, o novo chefe do Executivo, empossado no início de abril, ainda não confirmou a viagem, que precisa da aprovação da Câmara de Vereadores. Um dos obstáculos à ausência dele é o vácuo de poder que se abriria.

Como Hildebrandt não tem um vice (ele próprio era o vice do tucano Napoleão Bernardes, que renunciou), o próximo na linha sucessória seria o presidente do Legislativo, Marcos da Rosa (DEM). Tudo estaria resolvido não fosse a legislação eleitoral, que proíbe candidatos às eleições de outubro de assumir cargos no Executivo após 7 de abril.

Ou seja, se Rosa assumir, não poderá disputar uma cadeira na Câmara dos Deputados, como planejado. Encontram-se em situação parecida o vice-presidente da Câmara, Almir Vieira (PP), e o primeiro-secretário, Zeca Bombeiro (SD). Marcelo Lanzarim (MDB) seria o próximo na fila. Ele disse que não foi consultado pelo Executivo, mas adiantou à reportagem que aceitaria substituir o prefeito.

A assessoria do prefeito Mário Hildebrandt diz que, como não há confirmação da viagem, o gabinete ainda não contatou o Legislativo para tratar da ausência (e da substituição temporária).

O curso

A Universidade Popular de Alcobendas é uma instituição ligada ao município de Alcobendas, vizinho à capital Madri. Ela oferece um curso chamado Escola de Gestão Municipal Excelente (EGME), que está na quarta edição. O público do curso é composto, principalmente, por prefeitos da América Latina. Neste ano, a EGME recebeu cerca de 120 inscrições de 14 países. Hildebrandt foi selecionado para a turma de 32 alunos ao lado do prefeito de Indaial, André Moser (PSDB).

Do programa de estudos constam apresentações que ficam a cargo de funcionários do município de Alcobendas, que possui certificações e premiações por qualidade de gestão. Segundo os organizadores, o objetivo é ampliar as possibilidades de cooperação e troca de experiências entre os gestores públicos espanhóis e os demais participantes.

Custos

Se Hildebrandt decidir participar das aulas presenciais, de 11 a 15 de junho, terá as despesas com hospedagem pagas pela EGME – o curso também é gratuito. Segundo a assessoria do prefeito, a Procuradoria do Município ainda vai analisar se as passagens aéreas serão financiadas pela prefeitura. Porém, tudo isso ainda depende da confirmação da viagem.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo