“É uma vergonha, a polícia não pode ficar sem viaturas”, protesta presidente da Acib

Avelino Lombardi afirma ter garantia da Polícia Militar de que, apesar da dificuldade financeira, carros não estão parados

“É uma vergonha, a polícia não pode ficar sem viaturas”, protesta presidente da Acib

Avelino Lombardi afirma ter garantia da Polícia Militar de que, apesar da dificuldade financeira, carros não estão parados

Danubia de Souza

A notícia de que a Polícia Militar está sob racionamento de combustível na região de Blumenau surpreendeu o líder da maior entidade empresarial da cidade. Avelino Lombardi, presidente da Acib, disse que já tinha uma reunião agendada para 6 de dezembro com o secretário de Estado da Segurança Pública, César Grubba, e que o assunto agora será incluído na pauta da audiência.

Assim que soube do problema pela reportagem do Município Blumenau, Lombardi ligou para o comandante do 10° Batalhão de Polícia Militar. Depois, ele explicou o que ouviu:

“O comandante garantiu que as viaturas não estão paradas, mas que eles estão com dificuldades. Isso é uma vergonha! Não podemos deixar acontecer. Vamos pressionar para que o caso seja resolvido o quanto antes. A polícia não pode ficar sem viaturas!”

Lombardi afirmou que as entidades empresariais vão pressionar o governador e o Secretário de Segurança Pública. Ainda nesta semana elas pretendem cobrar um posicionamento das autoridades.

Conforme profissionais da Polícia Militar ouvidos pela reportagem, a ordem interna é reduzir o consumo de combustível porque a verba necessária não estaria sendo repassada regularmente pelo Estado. Alguns veículos estariam sendo acionados somente em ocorrências graves.

PM mantém silêncio

A reportagem procurou o comando da PM em Blumenau, na região e no Estado para detalhar a situação. O Comandante do 10° Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Jefferson Schmidt, confirmou o racionamento, mas informou que somente o comandante da 7ª Regional poderia se pronunciar sobre o caso. Este, o comandante Carlos Alberto Fritz Bueno, repassou a responsabilidade para a assessoria de comunicação da PM em Florianópolis.

A reportagem tentou contato com o setor na Capital, mas a profissional responsável estava em reunião e não pôde atender.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio