Letícia Silva

Letícia Silva é jornalista, empresária e corredora amadora. Aqui, toda segunda-feira ela compartilha em vídeo histórias inspiradoras, curiosidades e dicas de especialistas sobre o universo das corridas.

Catarinense conquista recorde sul-americano de corrida na esteira e fica a poucos quilômetros do Guinness

Lugar no Guinness Book não veio, mas a ultramaratonista Débora Simas emocionou uma multidão ao correr 800,61km em sete dias

Letícia Silva

Letícia Silva é jornalista, empresária e corredora amadora. Aqui, toda segunda-feira ela compartilha em vídeo histórias inspiradoras, curiosidades e dicas de especialistas sobre o universo das corridas.

Catarinense conquista recorde sul-americano de corrida na esteira e fica a poucos quilômetros do Guinness

Lugar no Guinness Book não veio, mas a ultramaratonista Débora Simas emocionou uma multidão ao correr 800,61km em sete dias

Letícia Silva

O recorde sul-americano de corrida na esteira é de uma catarinense! A ultramaratonista Débora Simas entrou para a história do esporte brasileiro, neste domingo, 21, ao correr 800,61km em sete dias. Ela perseguia o recorde mundial, mas faltou pouco para os 833,05km que a colocariam no Guinness Book.

Natural de Rio do Sul, Débora foi a primeira mulher brasileira a tentar quebrar o recorde mundial. O recorde sul-americano de corrida na esteira chegou às 10h de domingo. A torcida de amigos e desconhecidos vibrou junto no átrio central do Shopping Beira-Mar, em Florianópolis, onde ocorreu o desafio. Tudo foi auditado por uma comissão do Guinness Book.

Resistência física e emocional

Débora treinou pesado durante sete meses, mas o trabalho com o preparador físico Paulo Domingos Pereira Filho começou há quase 10 anos. Ele conta que a ultramaratonista leva a preparação física e emocional com muita disciplina, seriedade e alegria. Foi nesta década que a recordista sul-americana conquistou resistência para provas de endurance de longa distância.

Hoje, Débora é uma referência mundial em ultramaratonas femininas. Pra exemplificar, no ano passado, na prova 1000k Brasil, ela foi a única mulher a completar o percurso.

“Não tem sexo frágil. A Débora está aí pra provar que existe resiliência mental e resiliência física. O mundo está carente de pessoas que corram atrás dos seus objetivos e lutem até o final. Mesmo que a gente tenha definido uma meta de 833km, mesmo quando sabíamos que não íamos chegar, ela continuou ali, lutando e tentando fazer o que melhor conseguisse”, elogia o treinador.

Alegria até com privação de sono

Nos treinos preparatórios para buscar o recorde mundial de corrida na esteira, Débora treinou inclusive a privação de sono. Isso porque, para conseguir completar 833,05km em uma semana, ela tinha que correr 119km por dia. Pra aguentar o ritmo, havia tempo pra dormir apenas duas horas por dia.

Nem o sono tirou a alegria da Débora. O sorriso largo que durou os sete dias foi uma das marcas da recordista sulamericana. No discurso final, ela teve força pra agradecer cada um que incentivou ao vivo ou nas redes sociais, além da equipe de apoio. “Acreditem nos seus sonhos, corram atrás. Pode não ser hoje, pode não ser quando a gente quer. Mas eles acontecem”.

Se vai ter novo desafio rumo ao recorde mundial de corrida na esteira? “Esta foi apenas uma tentativa”, resumiu Débora na entrevista coletiva de domingo.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo