Mário Hildebrandt se declara otimista com redução de novos casos de Covid-19 em Blumenau

No entanto, prefeito alertou que qualquer descuido pode gerar impactos fortes nos hospitais

Mário Hildebrandt se declara otimista com redução de novos casos de Covid-19 em Blumenau

No entanto, prefeito alertou que qualquer descuido pode gerar impactos fortes nos hospitais

Alice Kienen

Em entrevista ao Blumenau Ao Vivo desta segunda-feira, 26, o prefeito Mário Hildebrandt se declarou otimista com os números de novos casos de Covid-19, que vêm caindo na cidade. Entretanto, deixou claro que qualquer descuido pode trazer um impacto forte demais para os hospitais.

A principal preocupação do município no momento é com o fortalecimento das equipes dos hospitais e do atendimento direto com a população. Segundo ele, os profissionais de saúde precisam “recarregar as energias” para serem capazes de continuarem atendendo.

“Se eles não estiverem com as energias renovadas, não teremos equipes nos hospitais para atender as demandas em um próximo pico. Os números de óbitos e de UTI já estão caindo gradativamente, mas não na velocidade que gostaríamos”, revelou Hildebrandt.

O prefeito ressaltou a importância da testagem em massa realizada na cidade. Ele também citou o índice produzido pela consultoria Macroplan e divulgado na revista Exame que coloca Blumenau como a oitava cidade do Brasil e primeira no estado que mais salvou vidas na pandemia.

“Hoje somos uma das poucas cidades no país que testamos pacientes com apenas um sintoma. E o resultado vem em 15 minutos. Investimos em um diagnóstico precoce. Quem vai até a Vila Germânica ou um dos outros sete AGs já sai de lá com o medicamento na mão”, comenta ela.

Hildebrandt também ressaltou o fato de que nenhum blumenauense chegou a ficar sem atendimento neste último ano, mesmo com a falta de leitos de UTI. O prefeito foi um dos pacientes que apesar de sintomas incômodos, não precisou de internação.

“A Covid me deixou depressivo e desmotivado durante algum período. Cada dia estou melhor, mas ainda não alcancei o auge das minhas atividades. Passei por alguns momentos difíceis nos últimos meses. Primeiro o desmaio, depois a hérnia de disco e como sequela estou tratando uma trombose”, relatou o prefeito.

“O problema da vacinação está no Brasil”

Questionado sobre a velocidade da vacinação contra Covid-19 na cidade, o prefeito opinou que a dificuldade em manter uma constância está na entrega dos imunizadores. Neste fim de semana, a Vila Germânica recebeu mais de 3 mil idosos para a primeira dose.

“Se hoje chegasse 6 mil doses em Blumenau, temos capacidade de aplicar tudo em três dias. Apenas neste fim de semana aplicamos mais de 3 mil doses em dois dias. A prefeitura está muito atrelada à questão das doses chegarem aqui”, ressaltou.

Em Gaspar, a vacinação da segunda dose chegou a precisar ser interrompida pela falta de doses. Na última semana, a Central de Vacinação blumenauense, na Vila Germânica, teve sua estrutura ampliada para comportar ainda mais pessoas.

Hildebrandt aproveitou a oportunidade para elogiar o trabalho dos profissionais de saúde, especialmente dos vacinadores e da equipe de atendimentos nos Ambulatórios Gerais da cidade. O trabalho da Secretaria de Saúde, em nome do secretário Winnetou Krambeck, também foi exaltado.

Questionado sobre o aplicativo Pronto Mobile, que precisou abrir mão dos serviços de agendamento de vacinação e consultas por não dar conta da demanda, o prefeito afirmou que a retomada dele está sendo analisada e pode ser confirmada nos próximos agendamentos.

Assista à entrevista na íntegra:


Receba notícias direto no celular entrando nos grupos de O Município Blumenau. Clique na opção preferida:

WhatsApp | Telegram


• Aproveite e inscreva-se no canal do YouTube

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo