O olhar de quem desfila pela primeira vez na Magia de Natal

Desde os mais novos aos mais experientes, todos estavam ansiosos e nervosos ao desfilar pela primeira vez

O olhar de quem desfila pela primeira vez na Magia de Natal

Desde os mais novos aos mais experientes, todos estavam ansiosos e nervosos ao desfilar pela primeira vez

Julia Schaefer

“Papai Noel, aqui”, “aqui”, gritavam as crianças. No outro lado da rua, o bom velhinho desfilava em sua carruagem, distribuindo beijos ao público. Acontece que não foi só o Papai Noel quem encheu de luz e encantamento a Rua Alberto Stein: os personagens do desfile tiveram papel essencial. Para quem participou pela primeira vez, a impressão que ficou é de que foi um sonho realizado.

“Eu tô muito nervosa, meu Deus”, falava Camila de Oliveira, de 12 anos, sem conseguir parar de se mexer ao conversar comigo. “Para mim, desde criança, o natal é mágico”, acrescenta a adolescente.

Kauany da Veiga de Castro, 13 anos, era do mesmo grupo de Camila. “Minha mãe me trazia quando eu era bem pequena, eu via os anjos e sempre quis ser um”. Ela realizou o sonho, estava envolta em luzes, com uma asa de anjo.

Faz cerca de seis meses que Bianca Piva Silveira, de 15 anos, se prepara para o desfile. “Antes eu vinha quando pequena e eu via eles (pessoas que estavam desfilando), e achava tipo, meu Deus, toca em mim. Agora que estou aqui, eu vou tocar neles (público)”, afirma.

A ansiedade podia ser percebida no olhar de Yasmin Coelho, de 11 anos. “Eu sempre quis vir, a minha mãe sempre me apoiou, mas a professora nunca chamava porque eu era pequena. Mas agora a gente está super ansiosa pra começar a desfilar. É muita emoção. O meu sonho está sendo realizado”, fala.

Em meio a tantas crianças, podia se perceber um grupo de mulheres mais experientes. Elas eram as mensageiras de natal, que distribuíram mensagens de esperança aos presentes. Raquel Fidelis era a estreante do grupo.

“É uma experiência nova. E um desafio, também, né, porque a gente não pode abraçar tudo, mas dessa vez é para abraçar mesmo, porque a Magia de Natal mexe conosco. É muito emocionante poder participar também”, diz Raquel.

Durante cerca de uma hora, todos os participantes que experimentaram fazer parte do desfile da Magia de Natal puderam se sentir no centro de um espetáculo, como personagem e atração para centenas de crianças e adultos.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio