Prolongamento da rua Humberto de Campos chega à fase final

Ruas Tóquio e Joaquim Nabuco precisarão ser interditadas por pouco mais de um mês

Prolongamento da rua Humberto de Campos chega à fase final

Ruas Tóquio e Joaquim Nabuco precisarão ser interditadas por pouco mais de um mês

Redação

Os trabalhos para a conclusão e liberação do trânsito no prolongamento da Rua Humberto de Campos, no bairro Velha, chegam à etapa final. A partir da próxima segunda-feira, dia 12, as ruas Tóquio e Joaquim Nabuco terão de ser interditadas para a conclusão dos trabalhos de pavimentação e adequação das pistas. A previsão é que o trânsito seja liberado no início de abril.

O secretário de Infraestrutura, Régis Evaloir da Silva, explica que a interdição é necessária para que as equipes consigam trabalhar nas pistas.

“Nosso objetivo é concluir a obra até o início do mês de abril e para isso é necessária a interdição total do trânsito nas duas ruas. As equipes realizarão o alargamento da via, a retirada de todo o material existente na pista, o reforço da base e, na sequência, a colocação da camada asfáltica”, explica.

Durante o período de obras, uma via paralela à rua Tóquio será criada para que os moradores da rua Japão tenham acesso provisório à General Osório. Os moradores da rua Joaquim Nabuco terão acesso à rua Estanislau Schaette pela Ayrton Senna ou às ruas General Osório/João Pessoa pela rua Flórida.

Grande rótula

Depois de concluídos os trabalhos, as ruas Joaquim Nabuco e Tóquio funcionarão como uma grande rótula. Ambas darão ligação às ruas Humberto de Campos e General Osório. Está é a maior obra pública municipal em andamento e compreende a extensão de dois quilômetros da Humberto de Campos até General Osório.

Ao todo, a estrutura é composta por três viadutos, com alças de acesso às vias laterais, retornos e uma ponte sobre o Ribeirão da Velha, com 60 metros de extensão. Depois de concluída, a via terá 30 metros de largura, passando a contar com seis faixas de tráfego, sendo três por sentido: duas para os veículos e uma para o transporte coletivo. Ao longo do trajeto, haverá canteiro central, passeios para pedestres e ciclovias.

O vice-prefeito e secretário executivo de Mobilidade Sustentável e Projetos Especiais, Mário Hildebrandt, conta que a prefeitura desapropriou o último terreno semana passada e que todas as pendências com desapropriações já foram sanadas para a obra do prolongamento.

“No total, tínhamos 108 terrenos que precisavam ser desapropriados e concluir isso já é uma grande conquista. A obra trará ainda mais mobilidade para a região da Velha”, destaca.

Leia também

Entenda as mudanças no transporte coletivo que serão discutidas na Câmara de Vereadores

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio