Já se passaram 308 dias desde o início oficial da pandemia no Brasil – 17 de março de 2020 -, e desde então estamos a espera de uma notícia que nos desse a esperança de que tivéssemos uma vacina para dar término a um novo normal que ninguém mais aguenta.

Com a aprovação emergencial da vacina por parte da Anvisa no último domingo, 17, começamos a semana com a promessa de que os estados receberão essa vacina até quarta-feira, 20, para que as prefeituras comecem a vacinar os três grupos prioritários determinados pelo Ministério da Saúde.

Até aí, nada de novo, mas há que se ficar muito atento com aqueles que vão, sem dúvida, querer usar todo esse processo de envio e de vacinação para dar início a suas campanhas visando às eleições de 2022. Na quarta-feira teremos o início da temporada dos políticos espertos que não deixarão passar um só momento para capitalizarem votos para a eleição de um cargo novo ou também para a reeleição.

Digo isso porque durante esses 308 dias de luta contra a Covid-19 tivemos muitos absurdos acontecendo, como desvios de verba, compras e contratações irresponsáveis, brigas e desmandos políticos que só atrasaram os atendimentos em hospitais.

Tivemos também o surgimento de “curas milagrosas” que se comprovaram ineficazes, diversos processos de impeachment que serviram de palanque eleitoral, irresponsabilidade daqueles que insistiram nas aglomerações e tudo que foi amplamente divulgado nos veículos de comunicação Brasil afora.

Durante quase um ano esses mesmos veículos de comunicação e os próprios jornalistas foram os mais atacados por divulgarem tudo isso que listei e muito mais, como se tudo fosse mentira ou se tivéssemos fazendo isso para prejudicar esse ou aquele político.

Em 2022 teremos mais uma eleição no Brasil e através de todas as reportagens e matérias que foram publicadas o eleitor poderá fazer uma retrospectiva de tudo que aconteceu na pandemia e poderá escolher muito bem em quem vai votar.

O que não podemos fazer é esquecer tudo que já aconteceu e tudo que ainda irá ocorrer até que todo mundo seja vacinado. Muita gente vai querer aparecer com uma vacina na mão se dizendo o salvador da pátria e muito provavelmente esse será o assunto principal dos debates eleitorais quando a eleição começar.

Mas o eleitor, inteligente que é, deverá desde já guardar todas as informações sobre o que acontece nos governos, nos mandatos e até daqueles que querem um mandato, só para comparar o que será dito lá em 2022 e aí saberemos, de verdade, se os grandes culpados dessa pandemia eram realmente os veículos de comunicação e seus jornalistas.

Não por ser jornalista também, mas escrevo esse texto para mostrar que, na maioria das vezes, descrevemos fatos e publicamos informações não porque queremos prejudicar ou ajudar alguém.

O objetivo é mostrar para o leitor, para o ouvinte ou para o telespectador que a melhora da condição de vida no Brasil e em Santa Catarina depende dele, pois todo presidente, governador, senador, deputado, prefeito e vereador só estão nos seus cargos porque o próprio leitor e eleitor foi quem os colocou lá.

Então meus amigos, fique atento para tudo que acontecer daqui para frente, pois até outubro de 2022 veremos ainda muita coisa que pode fazer a gente decidir quem deve ou não continuar governando as instituições públicas no Brasil.


Receba notícias no seu WhatsApp: basta clicar aqui para entrar no grupo do jornal

Clique aqui e inscreva-se no canal no YouTube do jornal O Município Blumenau. Vem muita novidade por aí!

3 COMENTÁRIOS

  1. Parabens a você ,,quê sejamos todos conscientes nas decisões que tomamos na hora de escolher alguem pra nós representar .

  2. Retrospectiva: Gripezinha, e daí?, cloroquina, aglomeros, 2 ministros da saúde pra rua, vachina, imposto em remédio, ninguém vai comprar tua vacina talkey?, zero dinheiro pro Butantan, dia D hora H, colapso em Manaus.
    Atualidade: a vacina é nossa, governo federal que financiou a vacina (mentira).
    Tem que ser muito alien pra aprovar o comportamento do nosso presidente. Gente, é nosso PRESIDENTE. Ele TEVE tudo pra se garantir em 2022 durante a campanha, trabalhando incansavelmente pra salvar vidas, ao invés disso ele não fez nada de relevante e atrapalhou e ridicularizou quem tava tentando. Durante a pandemia ele gasta com estatais ao invés de privatizar, estatais que ele mesmo criticava.
    Não dá.
    O Dória é ridículo, prometeu na campanha que não trancaria tudo e descumpriu enquanto embarcava pra Miami. Elegeu Covas que de primeira coisa aumentou o próprio salário, lixo! Mas na saúde acertou investindo na vacina, pelo menos NISSO durante um ano de pandemia.
    QUEM DEVERIA TER SIDO 1º VACINADO ERA O BOLSONARO, PRA DAR EXEMPLO, SE ELE NÃO FOSSE TÃO TOSCO.
    Pra 2022 eu só quero um político que preste, que decida o que é bom pro país sem escândalos familiares e ideológicos, e que tenha o mínimo de respeito por nós brasileiros. Será que é pedir demais?

Deixe uma resposta