Terremotos na Argentina causam tremores em SC; Defesa Civil explica situação

150 pessoas foram evacuadas de um edifício em Chapecó por conta dos tremores de terra

Terremotos na Argentina causam tremores em SC; Defesa Civil explica situação

150 pessoas foram evacuadas de um edifício em Chapecó por conta dos tremores de terra

Redação O Município Blumenau

A Secretaria de Proteção e Defesa Civil de Santa Catarina esclareceu que os tremores de terra sentidos na cidade de Chapecó nos últimos dias foram reverberações de terremotos ocorridos na Argentina. O evento mais recente foi nessa terça-feira, 24.

De acordo com a Defesa Civil, a reverberação demora alguns dias para ser sentida, por isso foi percebida nesta semana em Chapecó. O bairro Santa Maria, nas proximidades do Hospital Regional do Oeste (HRO), foi um dos locais onde mais se percebeu o evento.

Segundo a Defesa Civil de Chapecó, após os tremores, 150 pessoas foram evacuadas de um edifício, mas não foram relatados danos estruturais em nenhuma edificação da cidade.

Terremotos na Argentina

O Norte da Argentina vem apresentando abalos sísmicos desde o dia 10 de janeiro, mais precisamente na Província de Santiago Del Estero, que fica a cerca de 900 km do Oeste de Santa Catarina.

O segundo terremoto ocorreu no dia 20 de janeiro, na região de Campo Gallo, e atingiu magnitude 6,4 na Escala Richter. O fenômeno também foi sentido por moradores na cidade de Chapecó. Já o terceiro abalo ocorreu nessa terça-feira, 23, e foi consequência de duas placas tectônicas convergentes, ambas em constante movimento, as quais estão localizadas no mar, próximo à Argentina e ao Chile.

Segundo informações oficiais do Observatório Sismológico da UNB e do Centro de Sismologia da USP, que monitoram este tipo de evento no Brasil e no mundo, o evento ocorrido na data de ontem, por volta das 15h37, chegou a magnitude 6,2 na escala Richter a uma profundidade de 601 km.

A Defesa Civil de Santa Catarina diz que é comum terremotos de alta magnitude gerarem tremores secundários, sentidos a centenas de quilômetros do epicentro. A Secretaria de Proteção e Defesa Civil reforça que está monitorando a situação e informa que não há nenhum perigo para a população local.

– Assista agora:
Como surgiu o projeto Caridade Sem Fronteiras e ligação com Irmã Lúcia

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo