Vergonha histórica: Brusque sofre goleada para o Volta Redonda no Augusto Bauer, pela Série C

Foi a maior goleada sofrida pelo quadricolor em seus próprios domínios

Vergonha histórica: Brusque sofre goleada para o Volta Redonda no Augusto Bauer, pela Série C

Foi a maior goleada sofrida pelo quadricolor em seus próprios domínios

O Brusque sofreu a maior goleada de sua história, como mandante, na tarde deste sábado, 28: o Volta Redonda arrebentou o quadricolor por 8 a 1, marcando seis só no primeiro tempo. Alef Manga marcou três gols, João Carlos fez dois, enquanto Hiroshi, Daniel e Oliveira balançaram as redes uma vez cada. A equipe do técnico Jerson Testoni volta a campo às 19h deste sábado, 5, contra o Criciúma, no estádio Augusto Bauer.

Rolo compressor

O Brusque teve a chance de abrir o placar aos dois minutos do primeiro tempo. Após ligação direta, a defesa visitante falhou, Maurício Garcez partiu cara a cara com o goleiro Douglas Borges. Tirou dele, chutou, mas a bola bateu no pé da trave e saiu.

A partir de então, começou uma das maiores vergonhas da história do futebol brusquense.

Aos 2, Ianson, na área, aplicou carrinho sobre Alef Manga, que caiu. O árbitro assinalou pênalti. João Carlos bateu firme no canto direito de Ruan Carneiro, que foi ao lado oposto.

Aos 8, Alef Manga passou por Everton Alemão com facilidade, bateu rasteiro e Ruan Carneiro aceitou, num frango clássico. O goleiro se redimiria aos 16, defendendo um balaço de Hiroshi e outro de Alef Manga no rebote.

Aos 18, após falha na saída de bola do Brusque, que sobrou com Hiroshi. Ele bateu cruzado e fez o terceiro.

Aos 23, Alef Manga recebeu na entrada da área e bateu cruzado. A bola foi no canto de Ruan Carneiro e estufou as redes. Quatro a zero.

Aos 31, após bate-e-rebate na área, a bola sobrou para Oliveira, que bateu pro gol, com Ruan Carneiro já quase fora do lance.

Aos 37, após contra-ataque rápido, Alef Manga recebeu boa bola e mandou na saída do goleiro quadricolor. Seis a zero. O recorde de maior derrota do Brusque no Augusto Bauer já estava quebrado aí.

O Volta Redonda passeava em campo. O time do Brusque, irritado, não acertava nada e dava espaços. Se lançava ao ataque, mas sem chances claras de gol depois do lance de Garcez.

Gol de honra

Jerson Testoni fez quatro alterações no intervalo. O Volta Redonda tirou o pé, e o Brusque tentou fazer alguma coisa no jogo. Marco Antônio e Índio entraram bem, e o time chegou a criar algumas jogadas. No início do segundo tempo, Ianson caiu na área em disputa com a defesa adversária. O árbitro demorou, mas assinalou pênalti após as reclamações. Marco Antônio deslocou Douglas Borges e marcou.

Mais vexame

O Volta Redonda fez mais gols ao natural. Aos 22, João Carlos recebeu de Luciano Naninho na área e mandou pro gol, no contrapé de Ruan Carneiro. Sete a um.

Dois minutos depois, Daniel, que havia acabado de entrar, recebeu livre na área após contra-ataque rápido.

Sem nada a perder, o Marreco se lançou ao ataque, mas pouco fazia além de descolar vários escanteios. O Volta Redonda administrava o resultado, e se tinha chance de partir em c


Quer receber notícias diretamente no seu celular? Clique aqui e entre no grupo de WhatsApp do jornal

Prefere ficar bem informado pelo Telegram? O jornal tem um canal de notícias lá. Clique aqui para participar

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo