Blumenauense que recebeu vacina de Oxford comenta expectativa: “Pode ser bala de prata contra a Covid-19”

Eduardo Campagnaro recebeu a dose na última semana e não apresentou efeitos colaterais

Blumenauense que recebeu vacina de Oxford comenta expectativa: “Pode ser bala de prata contra a Covid-19”

Eduardo Campagnaro recebeu a dose na última semana e não apresentou efeitos colaterais

Cristóvão Vieira

Nascido em Blumenau e atualmente médico do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle, da Unirio, Eduardo Campagnaro recebeu na última semana a vacina de Oxford, um dos principais elementos pesquisados para o combate e prevenção à Covid-19. O gastroenterologista de 36 anos se voluntariou após a equipe receber um convite para participar da experiência.

Campagnaro afirma que não sentiu nenhum tipo de efeito colateral após receber a dose. O médico, que acompanhava os estudos desta vacina antes de ter a oportunidade de recebê-la, diz ter alta expectativa. “É um estudo muito promissor. Na Inglaterra, acabou mostrando que 90% dos pacientes foram imunizados com pouco ou nenhum efeito colateral”.

Cerca de 1 mil pacientes fazem parte da pesquisa com a vacina de Oxford, e agora Eduardo e os demais integrantes serão acompanhados pela equipe do Instituto D’Or. Para o médico, existe sim a possibilidade de que as vacinas sejam liberadas para aplicação na população ainda este ano. “Caso tudo dê muito certo e os resultados sejam positivos neste estudo, pode ser sim que tenhamos a vacina no fim deste ano”.

A pesquisa será ampliada para 5 mil pessoas. São estudadas pessoas que não testaram positivo para Covid-19 e atuem diretamente em contato com a doença – como o caso do médico blumenauense, que trabalha na UTI e na enfermaria do hospital carioca. Eduardo será acompanhado durante um ano.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, em entrevista recente, afirmou que a Covid-19 pode não ter uma ‘bala de prata’, ou seja, uma cura ou vacina definitiva. Porém, Campagnaro acredita na eficácia da vacina. “Acredito muito na vacina de Oxford como a nossa bala de prata. Entendo que o Tedros foi cauteloso, fazendo essa firmação para que as pessoas continuem seguindo as medidas de combate à doença”.

Carreira

Eduardo Campagnaro se formou em medicina na Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac), em Lages, mas fez residência no Hospital Santo Antônio, onde concluiu a especialização em gastroenterologia. Há um ano e meio ele foi para o Rio de Janeiro, sendo que pretende em breve voltar a Santa Catarina.

Atualmente, encara a missão de atender pacientes da pandemia do novo coronavírus no Rio de Janeiro, e diz que a situação está melhor nos últimos dias. “Vivemos um caos nos meses de março e abril, sendo maio o pior de todos. Chegamos a ter uma fila de 1 mil pacientes para entrada na UTI. Atualmente, possivelmente pelo efeito de imunização de rebanho, houve uma redução no volume de casos. As testagens também aumentaram muito”.


Ainda não está no grupo de notícias do jornal no WhatsApp? Clique aqui e entre agora mesmo.

Você tem Telegram? O jornal tem um canal de informações lá. Clique aqui e participe.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo