“Em hipótese alguma se pode onerar o usuário do parque Ramiro”, diz Ricardo Stodieck

Administrador da maior área de lazer de Blumenau diz que prefeitura vai conhecer o projeto na quarta-feira

“Em hipótese alguma se pode onerar o usuário do parque Ramiro”, diz Ricardo Stodieck

Administrador da maior área de lazer de Blumenau diz que prefeitura vai conhecer o projeto na quarta-feira

Evandro de Assis

O presidente da Vila Germânica, Ricardo Stodieck, disse nesta segunda-feira, 19, que qualquer projeto de reformulação do parque Ramiro Ruediger só será levado em conta se não representar custo para os usuários. Segundo ele, a prefeitura recebeu representantes da empresa interessada em investir no local e a autorizou a fazer uma pesquisa com os usuários. O resultado do estudo, porém, anda não foi apresentado ao município.

“Atendemos a equipe deles no ano passado. Fizemos uma visita técnica ao parque e autorizamos que fizessem uma pesquisa para saber o que usuário acha que tem para melhorar. Estamos abertos ao diálogo, desde que não onere o usuário em hipótese alguma”, afirmou.

Segundo Stodieck, somente depois de conhecer o projeto a prefeitura vai se posicionar sobre o assunto. O diretor do parque Ramiro Ruediger, Fabrício Wolff, afirmou que não se cogita cobrar acesso à área pública ou às atrações que hoje são gratuitas.

“Com certeza o parque, mesmo em um possível sistema de concessão, irá garantir o livre acesso livre das pessoas a todas as atividades que fazem hoje sem custos, bem como manter equipamentos que são tradicionalmente queridos pelos usuários, como muita área verde, gramado e também a pista de skate”, avaliou.

O projeto

Blumenau vai conhecer na quarta-feira, 21, o projeto de reformulação do parque Ramiro Ruediger apresentado por uma empresa à prefeitura. A Beluga Estruturadora de Negócios (nome fantasia da empresa Villard Empreendimentos Imobiliários) desenvolveu um projeto e propôs ao município no formato de uma parceria público-privada.

O projeto prevê mudanças como a construção de uma praça de alimentação, academia, tirolesa, reformas das quadras, entre outras. No material de divulgação preparado pela empresa há também menção a uma central de monitoramento do parque.

Divulgação

A ação seguiria o Programa Municipal de Parcerias Público-Privadas, lei aprovada no fim do ano passado pela Câmara de Vereadores e sancionada pelo prefeito Napoleão Bernardes (PSDB). Conforme o próprio prefeito explicou a O Município Blumenau, a legislação permite que empresários apresentem ideias ao poder público.

Edital de concorrência

Antes de ser posta em prática, a ideia antes precisaria passar por uma concorrência pública. Mesmo que seja a autora da proposta, a Beluga não tem garantia de que será a escolhida para executá-la. Porém, se outra empresa for a vencedora, ela terá de remunerar a autora pelos custos de elaboração do projeto.

Procurada, a empresa não quis adiantar mais informações do que vai apresentar na quarta-feira.

A empresa

Apesar do sigilo em torno do projeto, a reportagem apurou que a empresa envolvida é a Villard Empreendimentos Imobiliários, razão social da Beluga Estruturadora de Negócios, que tem sede em Balneário Camboriú.

Em Blumenau, a Beluga é responsável pela construção de um hotel da rede Intercity na Via Expressa. Conforme o site da companhia, a Beluga nasceu em 2015 para estruturar novos hotéis da Intercity no Paraná e em Santa Catarina.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio